PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

PA: pessoas encontradas em barco à deriva devem ter morrido de fome, diz PF

Polícia Federal estima que ao menos 25 pessoas, da Mauritânia e do Mali, na África, deixaram o continente depois do dia 17 de janeiro

16 abr 2024 - 21h10
(atualizado às 21h47)
Compartilhar
Exibir comentários
Polícia Federal realiza trabalho de perícia em barco encontrado à deriva no Pará
Polícia Federal realiza trabalho de perícia em barco encontrado à deriva no Pará
Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal realiza perícia nos corpos e no barco encontrados à deriva na costa do Pará. Nesta terça-feira, 16, o trabalho identificou que a embarcação era ocupada por ao menos 25 pessoas, que possivelmente morreram de fome ou sede durante o trajeto no Oceano Atlântico. 

Desde a noite de segunda-feira, 15, o barco tem sido periciado para identificar a quantidade de passageiros, seus locais de origem e a causa da morte dos ocupantes. Segundo a PF, foram contabilizados oito corpos na embarcação e um no mar, próximo ao local onde o barco foi achado no sábado, 13.

A PF definiu que ao menos 25 pessoas estavam na embarcação a partir da quantidade de capas de chuva encontradas -- 23 verdes e duas amarelas. A investigação apura se os demais corpos foram jogados no mar durante o trajeto. Os corpos encontrados passam por perícia em Belém (PA).

"Um trabalho minucioso nesses corpos começa hoje e deve se estender até o fim de semana, ali deve ser identificada a causa mortis, mas que provavelmente foi por falta de alimento e de água", afirmou o superintendente da PF no Pará, José Roberto Peres. 

Papiloscopistas do núcleo de identificação da PF, no barco encontrado à deriva no PA.
Papiloscopistas do núcleo de identificação da PF, no barco encontrado à deriva no PA.
Foto: Divulgação/PF

Segundo Peres, documentos encontrados na embarcação dão conta de que o barco deixou a costa da Mauritânia em algum momento após o dia 17 de janeiro, ocasião em que ainda estava no continente africano. 

"A distância estimada do local de onde perderam o rumo até chegar ao Brasil é de 4,8 mil quilômetros, é um percurso muito longo e com certeza eles ficaram à deriva por muito tempo", disse o superintendente. 

O que se sabe sobre o caso

A embarcação à deriva foi encontrada por pescadores na manhã do último sábado, na Baía do Maiaú, próximo à Ilha de Canelas, em Bragança, no nordeste do Estado. Apesar da descoberta ser recente, as vítimas já estavam em processo avançado de decomposição quando as autoridades chegaram ao local.

Um vídeo chegou a ser filmado pelos pescadores:

Barco à deriva é encontrado com corpos em decomposição no litoral do Pará:

Segundo a Marinha, o barco é feito de fibra de vidro e não é extenso, conta apenas com 13 metros de comprimento. As autoridades ainda encontraram a embarcação sem motores, leme ou sistemas propulsores. Possíveis dados estruturais também não foram identificados no local. 

A embarcação foi levada de onde foi encontrada até o Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Bragança, um percurso que durou cerca de três horas. Para ajudar na identificação das vítimas, exames médico-legais estão sendo feitos pelas equipes do Instituto Nacional de Criminalística (INC) e do Instituto Nacional de Identificação (INI), em Brasília.

Barco à deriva com corpos em decomposição é rebocado até a costa do Pará
Barco à deriva com corpos em decomposição é rebocado até a costa do Pará
Foto: Divulgação/Polícia Federal
Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade