2 eventos ao vivo

Médicos protestam na 4ª por melhoria na saúde e contra vinda de estrangeiros

2 jul 2013
00h48
atualizado às 07h54
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A próxima quarta-feira (3) vai ser marcada por manifestações de médicos nas capitais de todos os Estados do País. De acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM), as principais reclamações da categoria são o baixo investimento do governo brasileiro na saúde pública, o anúncio da contratação de médicos estrangeiros sem a revalidação de diplomas e falta de estrutura da saúde pública. Em três Estados a categoria vai paralisar o atendimento ambulatorial no serviço público.

Em Sergipe, Mato Grosso e no Acre as consultas vão ser canceladas, mas os serviços de urgência e emergência funcionarão normalmente. O Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal também convoca os profissionais a paralisarem suas atividades na quarta-feira.

Semana passada, médicos de Brasília e do Rio de Janeiro fizeram manifestações pela melhoria da saúde pública e contra a vinda de médicos estrangeiros sem a revalidação do diploma.

A categoria alega que o principal problema da saúde pública no Brasil é o baixo investimento estatal e não a falta de profissionais. Os médicos vêm defendendo que o País precisa não só de uma reestruturação de hospitais e postos de saúde como também de uma carreira médica, nos moldes da dos juízes, em que os médicos tenham dedicação exclusiva e comecem a trabalhar em locais de difícil provimento e, conforme progridam na carreira, atuem em postos em cidades maiores.

O Ministério da Saúde divulgou no último dia 25 que criará 35 mil vagas para médicos no Sistema Único de Saúde até 2015. De acordo com a pasta, serão contratados médicos que se formaram no exterior para ocuparem os postos que não foram preenchidos por médicos com diplomas brasileiros. O plano do governo é criar programas de autorização especial para que os profissionais que se formaram fora do país só possam atuar na atenção básica, nos municípios do interior e nas periferias das grandes cidades.

Todos os Estados brasileiros têm manifestações marcadas. Saiba onde vão ocorrer os protestos:

Acre:
Em Rio Branco a concentração começa às 16h,  em frente à Assembleia Legislativa do estado. De lá, os médicos e estudantes sairão em caminhada pelo centro da cidade. O protesto, que inclui a suspensão do atendimento eletivo na rede pública por até 24 horas, não afetará os atendimentos de urgência e emergência.
Amazonas:
Em Manaus, a partir das 15h, médicos e estudantes farão um ato público no Largo São Sebastião, no centro da capital.
Alagoas:
Em Maceió, as atividades começarão às 7h30, com oficina de cartazes e faixas na sede do Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal).  O ato público será na frente do Cremal e começa às 9h. Os manifestantes seguirão em caminhada pela Avenida Fernandes Lima até a Praça dos Martírios.
Amapá:
A concentração, em Macapá, será a partir das 9h em frente ao Conselho Regional de Medicina, na Avenida Feliciano Coelho, 1060, no bairro do Trem. No local, serão distribuídos panfletos com as reivindicações.
Bahia:
Médicos e estudantes vestidos de jalecos brancos se concentrarão às 15h no Campo Grande. De lá, sairão em caminhada até a Praça Castro Alves.
Ceará: 
A partir das 9h, médicos e estudantes, usando jalecos brancos, se concentrarão na Assembleia Legislativa do estado, em Fortaleza. Às 15h30, os manifestantes se reunirão em frente ao Palácio da Abolição e, em seguida, caminharão até o Jardim Japonês, na Avenida Beira-Mar.
Distrito Federal:
Em Brasília, a concentração será a partir das 17h em frente ao Ministério da Saúde, na Esplanada dos Ministérios. Em seguida, os manifestantes seguirão até o Palácio do Planalto. O Conselho Regional de Medicina convocou a categoria a paralisar o atendimento ambulatorial na rede pública.
Espírito Santo:
Em Vitória, a partir das 9h, haverá uma visita das entidades médicas estaduais ao Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes. Às 17h haverá concentração dos médicos, centros Acadêmicos e estudantes de medicina na sede do Conselho Regional de Medicina.
Goiás:
Em Goiânia haverá uma concentração na sede do Conselho Regional de Goiás às 15h30 (Rua T-27, nº 148, Setor Bueno). Em seguida, o grupo sairá em passeata pelas ruas de Goiânia.
Maranhão:
Em São Luís, a concentração será na Praça Deodoro, às 9h. De lá, médicos e estudantes sairão em caminhada pelo centro da cidade até a Praça João Lisboa.
Mato Grosso:
Em Cuiabá, o protesto deve iniciar-se ao meio dia, com a paralisação de todo atendimento eletivo. A partir das 14h haverá uma concentração em frente à sede do Conselho Regional de Medicina. Em seguida, os manifestantes irão até a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso, concluindo a manifestação na Assembleia Legislativa.
Mato Grosso do Sul:
Em Campo Grande será protocolado documento nas sedes do governo do estado, da prefeitura de Campo Grande e no Ministério Público às 9h, mostrando as razões e reivindicações da classe médica. À tarde, a partir das 16h, será feita uma manifestação em frente ao prédio da representação do Ministério da Saúde em Mato Grosso, que fica na Rua Jornalista Belizário Lima.
Minas Gerais:
Na capital mineira, a concentração começará às 16h, em frente à sede do Conselho Regional de Medicina, que fica na Avenida Afonso Pena, 1.500, no centro da cidade. Os manifestantes farão uma marcha pela área hospitalar.
Pará:
Na capital paraense haverá concentração em frente à Santa Casa de Misericórdia a partir das 8h. De lá, o grupo seguirá em caminhada, passando em frente ao Centro Integrado de Governo, com destino à Secretaria Estadual de Saúde.
Paraíba:
Em João Pessoa, a concentração do protesto começa às 9h em frente à sede do Conselho Regional de Medicina, na Avenida. Dom Pedro II, 1335, centro da cidade.
Paraná:
Em Curitiba, a concentração será na Boca Maldita, a partir das 10h. De lá, o grupo seguirá em caminhada pela Rua das Flores até a Praça Santos Andrade (em frente ao prédio da Universidade Federal do Paraná).
Pernambuco:
No Recife, haverá uma concentração na Praça do Derby às 14h. Na ocasião, médicos doarão sangue no Memorial da Medicina. Às 16h, os médicos farão caminhada pela Avenida Agamenon Magalhães, passando pelo Parque Amorim e retornando pela Agamenon Magalhães para a Praça do Derby.
Piauí:
Em Teresina, a concentração em frente à sede do Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI), que fica na Rua Goiás, no Ilhotas, começará às 8h. De lá, os manifestantes partirão em caminhada pelos principais hospitais públicos e privados da cidade, retornando ao CRM-PI, onde ocorre uma assembleia geral.
Rio de Janeiro:
Os médicos cariocas farão, a partir das 10h, uma concentração na Cinelândia, onde ocorre um ato público.
Rio Grande do Norte:
A partir das 10h haverá uma concentração em frente à sede da Associação Médica (Avenida Hermes da Fonseca – Tirol). De lá, os manifestantes seguirão até Hospital Walfredo Gurgel.
Rio Grande do Sul:
Em Porto Alegre, a concentração, a partir das 16h, será em frente ao Hospital Beneficência Portuguesa. De lá, os manifestantes seguirão até o Palácio Piratini.
Rondônia:
Concentração, a partir das 10h, em frente à sede do Conselho Regional de Medicina de Rondônia, em Porto Velho.
Roraima:
Às 18h haverá concentração dos médicos em frente ao Portal do Milênio, em Boa Vista.
Santa Catarina:
A concentração, a partir das 10h, será na Esquina Democrática, no centro de Florianópolis (entre as ruas Felipe Schmidt e Trajano).
São Paulo:
O ponto de encontro da manifestação, a partir das 16h, será na Associação Médica Brasileira (AMB), na Rua São Carlos do Pinhal, 324. De lá, os manifestantes sairão em passeata rumo ao gabinete de representação da Presidência da República, na Avenida Paulista.
Sergipe:
Em Aracaju, a concentração dos médicos começa às 9h , na sede do Conselho Regional de Medicina  do Sergipe. Em seguida, os profissionais farão uma caminhada até a Secretaria Estadual de Saúde.
Tocantins:
As atividades começarão às 8h com um abraço simbólico no Hospital Geral de Palmas. Na sequência, está prevista caminhada até a Praça dos Girassóis.

<a data-cke-saved-href="http://noticias.terra.com.br/infograficos/pactos-dilma/iframe.htm" href="http://noticias.terra.com.br/infograficos/pactos-dilma/iframe.htm">veja o infográfico</a>

Veja também:

Equipes saem às ruas para intensificar fiscalização e toque de recolher
Agência Brasil Agência Brasil
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade