0

Gestão Doria mantém Grande SP na fase amarela; 3 regiões regridem após alta da covid

Mesmo com aumento de 34% em óbitos, 30% em casos e 8% em internações na última semana, São Paulo libera mais atividades na fase laranja

8 jan 2021
12h39
atualizado às 15h18
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Estado de São Paulo teve um aumento de 34% nas médias diárias de óbitos e de 30% nos casos confirmados do novo coronavírus na atual semana epidemiológica em relação à anterior, de acordo com dados divulgados no início da tarde desta sexta-feira, 8, pelo governo João Doria (PSDB).

Mesmo com a elevação das taxas da covid-19, o que inclui também uma elevação de 8,2% na média diária de internações, o governo decidiu mudar regramentos do Plano São Paulo, de reabertura econômica e flexibilização da quarentena, para permitir que mais atividades funcionem na fase laranja, como o funcionamento de academias de ginástica, parques e outros estabelecimentos, por exemplo, com 40% de ocupação e por 8 horas diárias. Por outro lado, há mais restrições para o atendimento presencial após as 20 horas e o veto à abertura de bares nessa fase.

Na coletiva de imprensa, que não contou com a participação do governador, também foi divulgada uma reclassificação de fases do Plano São Paulo, em que as regiões de Marília, Sorocaba e Registro regrediram para a fase laranja, juntando-se a Presidente Prudente, que antes estava na fase vermelha. O restante do Estado, incluindo toda a Grande São Paulo, segue na fase amarela. A mudança passará a valer da próxima segunda-feira, 11, até 5 de fevereiro.

Com aumento de 37% em óbitos e 30% de casos por covid, SP aumenta medidas de restrição
Com aumento de 37% em óbitos e 30% de casos por covid, SP aumenta medidas de restrição
Foto: Reprodução / Estadão

"A pandemia infelizmente recrudesceu, por culpa de poucos, que não respeitaram normas sanitárias e orientações da saúde. (São) Pessoas que infelizmente se aglomeraram, não usaram máscara, festejaram de uma forma irresponsável e colocaram tanto os seus familiares quanto amigos em risco", lamentou Jean Gorinchteyn, secretário estadual da Saúde. "Só as vacinas poderão mudar a história da pandemia no mundo, mas, principalmente, no nosso País, preservando vidas", destacou.

Também foram anunciadas algumas medidas de endurecimento. Agora, para entrar na fase verde, uma região precisará ter uma média de até 30 internações (em vez de 40) e de até 3 óbitos (em vez de 5) por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. Já a transição para a fase laranja passou a exigir uma taxa de ocupação de UTI para covid-19 de até 70%, e não mais de 75%.

De acordo com o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, a ocupação de UTI foi o principal fator para a piora nos índices de algumas regiões. Marília tem 75,8% de ocupação, taxa que é de 74,1% em Sorocaba, por exemplo. No caso de Registro, a situação preocupa especialmente pela média de 9,3 óbitos a cada 100 mil habitantes. Segundo o governo, 90% da população paulista reside em municípios que estão na fase amarela.

A média diária de novos casos aumentou nas últimas três semanas, que foi de 5.606 na penúltima semana de dezembro, seguiu para 6.373 na seguinte e, em 2021, chegou a 9.441 (a maior desde meados de agosto). "Isso mostra o quanto temos a circulação do vírus na nossa população de uma forma bastante intensificada", comentou Gorinchteyn ao apresentar os números.

Situação semelhante ocorreu no registro de óbitos, que teve média diária de 111 na penúltima semana de dezembro, subiu para 143 na posterior e, agora, está em 192. A média é a maior desde meados de setembro. Nesse aspecto, o secretário disse acreditar que possa ter havido um represamento de dados por causa dos feriados, nos quais costuma haver redução na emissão de testes.

Já no caso das internações, a elevação foi de uma média de 1.331, na penúltima semana de dezembro, para 1.364 na posterior e, por fim, para 1.476 na atual. Essa média é a maior registrada desde o início de setembro. "Lembrando que esse é um dado atual, e, com isso, não é algo que eventualmente tivesse ficado represado", explicou o secretário da Saúde. A atual semana epidemiológica ainda tem dados parciais, pois se estende até sábado, 9.

A reclassificação estava prevista para ocorrer na quinta-feira, 7, mas o governo paulista decidiu adiar em um dia, em parte por causa da divulgação de resultados dos testes brasileiros da vacina Coronavac, realizada na data.

A última atualização das fases do Plano São Paulo ocorreu em 22 de dezembro. Na ocasião, o governo também anunciou um recuo para a fase vermelha em todo o Estado entre 25 e 27 de dezembro e 1º e 3 de janeiro.

São Paulo teve aumento de óbitos e casos por covid-19
São Paulo teve aumento de óbitos e casos por covid-19
Foto: Reprodução / Estadão

O Estado de São Paulo registrou 48.029 óbitos e 1.528.952 casos confirmados do novo coronavírus. Segundo o balanço mais recente da Secretaria Estadual da Saúde, a taxa de ocupação de UTI é de 63,3%, média que chega a 65,5% na Grande São Paulo. Ao todo, 6.794 pacientes com suspeita ou confirmação da doença estão em enfermarias e outros 5.060 em leitos de UTI.

O aumento nas taxas da doença tem preocupado o governo, especialmente após os registros de aglomerações e o desrespeito de ao menos 19 municípios às restrições determinadas em âmbito estadual para o período das festas de fim de ano.

São Paulo enfrenta aumento nas taxas da covid-19
São Paulo enfrenta aumento nas taxas da covid-19
Foto: Reprodução / Estadão

Segundo a Secretaria da Saúde, o Estado tem um aumento de 68% em casos e de 57% em mortes pela covid-19 na comparação entre os 30 primeiros dias de dezembro e o mesmo período do mês anterior. Em reunião com prefeitos na quarta-feira, 6, Doria afirmou que São Paulo vive uma segunda onda da doença.

A situação se repete pelo País, que ultrapassou a marca de 200 mil mortes por covid-19 na quinta-feira. Pelo aumento nas taxas da doença, Belo Horizonte anunciou o fechamento do comércio considerado não essencial a partir da próxima segunda-feira, 11. Medida semelhante foi determinada no Amazonas, por meio de ordem judicial.

Veja também:

Papai Noel radical faz rapel no bondinho do Pão de Açúcar
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade