0

Família acusa PMs por morte de jovem em ação em baile funk

Lucas Lopes, de 23 anos, morreu nesta terça-feira, 1.º, após ser internado com ferimentos no Hospital Regional de Sorocaba

2 jan 2019
20h29
atualizado às 20h56
  • separator
  • 0
  • comentários

A família de Lucas Lopes, de 23 anos, registrou boletim de ocorrência acusando policiais militares das agressões que resultaram na morte do jovem. Morador do bairro Habiteto, na zona norte de Sorocaba, ele teria sido perseguido e espancado por policiais durante uma operação para reprimir bailes funk em bairros periféricos da cidade. Os policiais o acusaram de ter lançado uma pedra contra a viatura, o que a família nega.

O rapaz morreu nesta terça-feira, 1.º, após ser internado com ferimentos no Hospital Regional de Sorocaba. De acordo com o registro, a agressão aconteceu por volta das 22 horas, quando grupos de moradores estavam em ruas do bairro para esperar a virada do ano. Segundo a família, testemunhas disseram que alguém teria xingado os policiais, que viram Lucas correndo e foram atrás. Ele se refugiou em uma casa, de onde foi retirado e levado para a rua, onde teria sido espancado por três PMs.

Jovem de 23 anos foi agredido e não resistiu aos ferimentos
Jovem de 23 anos foi agredido e não resistiu aos ferimentos
Foto: Reprodução / Estadão Conteúdo

Ainda segundo o relato, familiares de Lopes foram chamados à Rua Três, onde o rapaz estaria "apanhando" da polícia. Um irmão relatou que, ao se aproximar de Lucas, que estava caído no chão, um policial apontou uma arma e mandou que se afastasse.

Um vídeo mostra quando a mãe do jovem, Cecília Lopes, se aproxima do filho, que se contorce de dor, mas o policial impede que ele seja socorrido. "Quem mandou ele ir lá mexer com a polícia. Ele jogou pedra em nós", afirma um policial, cuja imagem não aparece no vídeo. A mãe tentou argumentar que o filho estava bêbado.

Segundo a mãe, duas viaturas estavam no local, porém, quando os moradores começaram a se aglomerar para pedir que o rapaz fosse socorrido, os policiais chamaram reforços. Nesse momento, teriam sido disparadas balas de borracha contra as pessoas que estavam próximas.

Com a chegada do comandante da operação, foi permitido ao irmão de Lopes levá-lo ao Pronto-Atendimento do Parque das Laranjeiras. O rapaz foi transferido para o Hospital Regional de Sorocaba, mas não resistiu.

O corpo foi sepultado na tarde desta quarta-feira, 2, em clima de protesto dos moradores do bairro. A Polícia Militar informou não ter recebido nenhuma denúncia formal contra a ação dos policiais. No entanto, diante do registro feito pela família, informou que será instaurado um procedimento de investigação para apurar os fatos.

A Polícia Civil registrou o caso como lesões corporais seguidas de morte e aguarda o laudo sobre as causas do óbito para definir os rumos do inquérito.

Armas

As ações para coibir os bailes funk aconteceram depois que moradores postaram vídeos de uma aglomeração na Vila Helena, em que rapazes desfilavam portando armas. Outros jovens foram flagrados depredando carros, fazendo manobras arriscadas com motos e escalando ônibus em movimento.

Conforme a PM, as operações conjuntas com a Guarda Civil Municipal foram realizadas nos bairros Vila Helena, Habiteto e Jardim Paineiras.

Veja também:

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade