PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

A cláusula de nomeação de curador especial para administração de bens deixados a menor no testamento

5 set 2023 - 06h40
Compartilhar
Exibir comentários
Samira de Mendonça Tanus Madeira
Samira de Mendonça Tanus Madeira
Foto: Divulgação / Estadão

A possibilidade de dispor de bens quando da própria morte através de testamento está previsto no artigo 1.857 e seguintes do Código Civil. A cláusula de nomeação de curador especial em um testamento é de extrema importância quando se pretende deixar bens a um menor de idade. Isso porque o curador especial será responsável por administrar e proteger esses bens em nome do menor, até que ele atinja a maioridade, garantindo a preservação dos interesses do herdeiro. Essa nomeação é uma maneira de assegurar que os bens sejam utilizados de forma responsável e para o benefício do menor, conforme previsto no Código Civil.

Samira de Mendonça Tanus Madeira
Samira de Mendonça Tanus Madeira
Foto: Divulgação / Estadão

No entanto, é importante lembrar que o Código Civil estabelece certos requisitos para a nomeação de curador, incluindo:

  1. Ser maior de idade e estar em pleno gozo de seus direitos civis.
  2. Ter capacidade jurídica para administrar os bens e cumprir as obrigações inerentes à função de curador.
  3. Ser pessoa de confiança, que tenha a capacidade de agir no melhor interesse do menor.

O curador especial nomeado para administrar os bens deixados a um menor tem a obrigação legal de prestar contas de sua administração. Essa prestação de contas é um dever fundamental para garantir a transparência e a proteção dos interesses do menor herdeiro.

Importante destacar a possibilidade da nomeação de um curador diverso do cônjuge, ou seja, um terceiro nomeado para administrar os bens de um menor ou incapaz que não seja o próprio cônjuge do testador (pessoa que fez o testamento).

Essa nomeação é especialmente importante quando o cônjuge não é considerado a melhor opção para desempenhar a função de curador, devido a conflitos de interesses, falta de capacidade ou outras razões que poderiam prejudicar os interesses do herdeiro menor ou incapaz.

A nomeação de um curador diverso do cônjuge pode ocorrer em várias situações, tais como:

  1. Conflito de Interesses: Se o cônjuge do testador tiver interesses conflitantes com os do herdeiro menor, como em casos de divórcio, separação ou disputas familiares, é aconselhável nomear um curador independente para evitar possíveis conflitos de interesses.
  2. Incapacidade do Cônjuge: Se o cônjuge não estiver em condições de administrar adequadamente os bens do herdeiro menor devido a problemas de saúde, incapacidade mental ou outras razões, um curador diverso pode ser nomeado para garantir uma administração adequada dos ativos.
  3. Preferência do Testador: O testador pode simplesmente preferir nomear outra pessoa de confiança como curador, independentemente da relação de parentesco, se acreditar que essa pessoa é mais adequada para a função.
  4. Proibição Legal: Em algumas jurisdições, a lei pode proibir o cônjuge de atuar como curador em determinadas circunstâncias, como quando há conflitos de interesses evidentes.

A nomeação de um curador diverso do cônjuge deve ser feita de acordo com as leis e regulamentos locais, e é aconselhável consultar um advogado especializado em direito de sucessões para garantir que o processo seja realizado corretamente. O objetivo principal é sempre proteger os interesses do herdeiro menor ou incapaz, garantindo uma administração responsável e imparcial dos bens deixados pelo testador.

*Samira de Mendonça Tanus Madeira é advogada (OAB/ RJ 174.354), com especialização em Direito Processual Civil, Planejamento Sucessório e Direito Imobiliário. Extensão em Contract Law; From Trust to Promisse to Contract - Harvard University e Direitos Humanos e Novas Tecnologias pela Universidade de Coimbra. Sócia do escritório Tanus Madeira Advogados Associados, fundado em 1983, com unidades nas cidades do Rio de Janeiro e Macaé- RJ

Estadão
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade