PUBLICIDADE

Veja trocas de mensagens entre jovem morta e jogador do sub-20 do Corinthians

Lívia Gabrielle faleceu após encontro com o atleta em um apartamento no Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo, no dia 30 de janeiro

5 fev 2024 - 10h02
(atualizado às 10h29)
Compartilhar
Exibir comentários
Lívia Gabrielle da Silva Matos e Dimas Cândido de Oliveira Filho
Lívia Gabrielle da Silva Matos e Dimas Cândido de Oliveira Filho
Foto: Reprodução/Instagram

A Polícia Civil investiga o caso de Lívia Gabrielle da Silva Matos, jovem de 19 anos que morreu após se encontrar com o jogador do sub-20 do Corinthians, Dimas Cândido de Oliveira Filho. Ela faleceu na noite de 30 de janeiro após ser levada ao Hospital Municipal do Tatuapé, na zona leste de São Paulo.

Ela estava com o atacante quando desmaiou e precisou de socorro, que foi acionado por ele. Lívia teve quatro paradas cardíacas e não resistiu. Na noite de domingo, 4, o Fantástico exibiu as mensagens trocadas entre a jovem e o jogador antes do encontro que virou tragédia.

Dimas contou que conheceu Lívia em uma rede social e, desde o dia 17 de janeiro deste ano, passaram a trocar mensagens de texto e de áudio quase diariamente. Segundo a reportagem, os primeiros diálogos são de dois jovens que estão se conhecendo e que queriam se encontrar pessoalmente.

No dia 30 de janeiro, dia da morte da jovem, Dimas tinha uma passagem comprada para João Pessoa, na Paraíba, onde nasceu e ia passar as férias, às 23h15. Eles então marcaram de se encontrar às 18h daquele dia, no apartamento onde ele estava, no Tatuapé.

"Vou falar com a minha mãe. Ela vai deixar esse horário sim", disse Lívia em áudio para Dimas.

Nesse primeiro encontro, eles falavam sobre relação sexual. "Eu não gosto de transar sem camisinha", escreveu ele. Ela respondeu que "também não".

Antes do horário marcado com o jogador, ela enviou outra mensagem: "Tô pronta, quer que eu vá agora ou daqui a pouco?". Ele responde: "Daqui a pouco". Às 18h06, ela avisou Dimas: "Tô chegando, amor". Essa foi a última mensagem enviada pela jovem ao jogador.

Ainda conforme a reportagem, Dimas contou à Polícia que os dois não usaram drogas nem ingeriram bebidas alcoólicas. Segundo ele, os dois tiveram uma primeira relação sexual com uso de camisinha. Depois de descansarem e conversarem, os dois foram ter uma segunda relação sexual e ele percebeu que ela desmaiou no ato.

O jogador então ligou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e foi orientado a colocá-la de barriga para cima e massagear o peito dela até a chegada da ambulância. Nesse momento, ele disse que viu um sangramento nas partes íntimas.

Na unidade de saúde, foi constatado que a jovem teve um sangramento na genitália, provocado por uma fissura de aproximadamente cinco centímetros. O corpo dela foi encaminhado para o IML para exames necroscópicos, toxicológicos e sexológicos, que ajudarão na elucidação do caso. O atestado de óbito diz que a causa da morte foi a ruptura de fundo de saco de Douglas com extensão à parede vaginal esquerda.

Em entrevista à emissora, o advogado de Dimas, Tiago Lenoir, disse que o jogador prestou auxílio à jovem e não praticou nenhum crime. "Ele está muito abalado, muito chateado com toda a situação e está se recuperando. O Dimas respeita o sofrimento da família", afirmou.

Já o advogado da família de Lívia, Alfredo Porcer, disse que o que o jogador narra "não é verossímil". "Não pode ter acontecido do jeito que ele narrou. Tem sangramento, tem dor."

O caso é investigado pela 5ª Delegacia de Defesa da Mulher do Tatuapé. A morte de Lívia é tratada como suspeita. No link, veja tudo o que se sabe sobre morte de jovem após encontro com jogador do sub-20 do Corinthians.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade