PUBLICIDADE

Senadora diz que Ciro Gomes ‘vai responder na Justiça’ por ofensas: ‘Misoginia e machismo’

Ex-governador do Ceará disse que Janaína Farias prestou serviços de ‘harém’ para ministro do governo Lula

12 abr 2024 - 17h02
(atualizado às 17h03)
Compartilhar
Exibir comentários
Janaína Farias, suplente de Camilo Santana, ministro da Educação do governo Lula
Janaína Farias, suplente de Camilo Santana, ministro da Educação do governo Lula
Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

A senadora Janaína Farias (PT-CE), suplente do ministro da Educação, Camilo Santana, disse que vai processar o ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT). O pedetista disse em entrevista que a parlamentar prestou serviços de “harém” ao ministro, rival político dele no Estado. Para Janaína, fala é “lamentável” e Ciro vai “responder por mais esse absurdo na Justiça”. Procurado pelo Estadão, Ciro Gomes não se manifestou.

Janaína afirmou ao jornal O Globo que ficou “extremamente indignada” com a entrevista do ex-presidenciável à rede A Notícia do Ceará. Para ela, a punição é necessária para impedir que outros homens se sintam “confortáveis para continuar fazendo esse tipo de ataque às mulheres”. A ação na Justiça foi confirmada pela equipe da parlamentar ao Estadão.

A parlamentar disse que “misoginia, machismo e violência política de gênero parecem ser o único aprendizado que ele teve ao longo do tempo”, mencionando a carreira política de Ciro. Para ela, a ofensa “violenta” do ex-governador é resultado das “mágoas e derrotas que ele acumula”.

Qual a diferença entre machismo e misoginia? Qual a diferença entre machismo e misoginia?

No Senado, Janaína teve apoio da bancada feminina, que apresentou um pedido de voto de repúdio a Ciro Gomes. As parlamentares, tanto da esquerda quanto da direita, classificaram a fala como um “desrespeito” e “discriminação de gênero”.

O requerimento diz que “casos como este somente reforçam a importância de se trabalhar incansavelmente pela equidade de gênero e pelo respeito mútuo no âmbito político e em todos os setores da sociedade”.

A fala do ex-governador em questão se deu no mesmo dia em que Janaína foi empossada após a primeira suplente de Camilo Santana, Augusta Brito (PT-CE), também se afastar do cargo. Ciro afirmou que “até aquele momento, ela só fez serviços particulares para o Camilo. Isso é o ‘harém’, os eunucos, as meninas do entorno”.

Estadão
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade