PUBLICIDADE

Revista americana “New York" ajuda mulheres a fazer aborto

Diante de retrocesso em políticas, a publicação organizou um guia e estampou em sua capa

23 mai 2022 - 14h50
Ver comentários
 Publicação visa criticar retrocesso de diversos estados nos EUA em relação ao aborto
Publicação visa criticar retrocesso de diversos estados nos EUA em relação ao aborto
Foto: Reprodução New York Magazine

A prestigiada revista estadunidense "New York Magazine" estampou na capa de sua mais recente edição a chamada: "Esta revista pode te ajudar a fazer um aborto". A impactante manchete vem em um momento em que diversos estados do EUA retrocedem em relação ao direito das mulheres, em especial, ao que diz respeito ao aborto.

Ao longo da publicação, explicam que se trata de "um guia prático de como acessar o aborto, hoje e amanhã" e sinalizam "como exercer a autonomia reprodutiva em um ambiente cada vez mais hostil". A revista traz diversas matérias sobre onde encontrar clínicas para realização segura do aborto, como conseguir ajuda, como ter acesso à medicações e como se proteger enquanto busca um aborto, entre outros tópicos.

Além dos textos, a publicação disponibilizou um mapa interativo que sinaliza a localização das cerca de 600 clínicas de aborto do país, além de informações como quais são os 18 estados que impuseram uma regra de 24 horas para realização do procedimento a partir da confirmação da gravidez e também o tempo máximo de gestação permitido em cada estado para que seja feito o aborto.

Ao contrário do Brasil, onde as leis relativas ao aborto são estabelecidas e aplicadas em uma esfera federal, nos Estados Unidos a legislação é estabelecida por cada estado, por isso existem centenas de leis e processos diferentes em cada local.

Por aqui, o aborto é legalizado para mulheres acima de 18 anos em três situações: casos de anencefalia fetal, quando não há outro meio de salvar a vida da mãe ou quando a gravidez é decorrente de um estupro. A lei que orienta o atendimento dos profissionais de saúde no serviço público focado em interrupção de gravidez é a 12.845 de agosto de 2013. Infelizmente, nem todas as cidades contam com a estrutura necessária para realização do aborto. Porém, a legislação obriga que o serviço de saúde deve encaminhar, incluindo transporte, a gestante para o local preparado para o procedimento.

Fonte: Redação Nós
Publicidade
Publicidade