PUBLICIDADE

Mulheres indígenas vencem premiação de jornalismo pela 1ª vez: “O prêmio não é só meu”

Após 17 edições do Troféu Imprensa Mulher, duas mulheres indígenas estão entre as 15 vencedoras; colunista do Terra NÓS é uma das premiadas

5 set 2023 - 12h01
(atualizado às 12h03)
Compartilhar
Exibir comentários
Luciene venceu a categoria "Regionalidade: Norte" na 17ª edição do Prêmio Imprensa Mulher
Luciene venceu a categoria "Regionalidade: Norte" na 17ª edição do Prêmio Imprensa Mulher
Foto: Reprodução/Instagram/lucienekaxinawa

Dentre as 15 vencedoras do Troféu Mulher Imprensa deste ano, duas indígenas, Luciene Kaxinawá e Elizangela Baré, venceram duas das categorias da premiação. Essa é a 17º edição do prêmio. 

Luciene Kaxinawá é a primeira jornalista indígena da televisão brasileira e venceu com 34,65% dos votos na categoria “Regionalidade: Norte”.  A jornalista atua como apresentadora e editora no Canal Futura e também é colunista do Terra NÓS. A jornalista é de Rondônia do povo Huni Kuin, conhecido como Kaxinawá, que tem seu território localizado entre o Brasil e o Peru.

Ao Terra NÓS, a colunista revelou a importancia da premiação para ela: “Receber a premiação do Troféu Imprensa é um reconhecimento de muito trabalho. Esse prêmio não é só meu, mas de toda a população indigena, todas as mulheres, principalmente mulheres jornalistas que estão nesse meio. Não é fácil viver em uma sociedade sendo mulher, jovem e indígena. Representa muito para mim e estou muito feliz de receber essa premiação”.

Vencedora da categoria "Programa de Podcast de Jornalismo", Elizangela Baré é apresentadora do podcast Rádio Sumaúma e teve 50,55% dos votos em uma das categorias com mais números de votantes de toda premiação. A artesã e agricultora é uma liderança no território Terra Indígena Cué-Cué/Marabitanas, no Alto rio Negro, Amazonas. 

Marco temporal: o que é e por que ele representa risco de vida para os indígenas:

Representatividade

Em 15 categorias, sete vencedoras são mulheres negras: Joyce Ribeiro na categoria "Telejornalismo"; Cecília Oliveira por "Multimidia"; Nayara Felizardo em "Jornalismo Impresso e Online"; Flávia Oliveira com "Jornalista especializada na pauta Diversidade"; Juliana Oliveira pela categoria "Consultora de Comunicação- Agência"; Helena Bertho como "Consultora de Comunicação Corporativa" e Etiene Pereira Martins em “Regionalidade: Sudeste”.

A premiação Troféu Mulher Imprensa acontece desde 2005 e é dedicada somente às mulheres no Brasil. Os votos acontecem de forma popular, através do site da premiação. Neste ano, a votação ficou disponível do dia 7 de julho a 21 de agosto.

Conheça a cidade mais indígena do Brasil Conheça a cidade mais indígena do Brasil

Fonte: Redação Nós
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade