PUBLICIDADE

Mulher de Bruno Pereira cobra explicações sobre embaixador citar corpos

Beatriz Matos quer saber quem disse a embaixador que corpo do marido teria sido encontrado

13 jun 2022 13h57
| atualizado às 16h23
ver comentários
Publicidade
Manifestação que ocorreu nesta terça-feira, 7,em frente à sede da Funai, em Brasí­lia, pelo desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips durante viagem de barco na Amazônia, no domingo, 5
Manifestação que ocorreu nesta terça-feira, 7,em frente à sede da Funai, em Brasí­lia, pelo desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips durante viagem de barco na Amazônia, no domingo, 5
Foto: Wilton Junior/Estadão

A esposa de Bruno Pereira, Beatriz Matos, foi às redes sociais nesta segunda-feira, 13, cobrar novos esclarecimentos sobre o paradeiro do indigenista após confirmar que foi informada pela Polícia Federal que seu marido e o jornalista britânico Dom Phillips ainda não foram localizados. A informação citada por Beatriz corresponde à nota oficial divulgada pela Polícia Federal nesta manhã. 

"A Polícia Federal tem o compromisso de passar as informações para a família primeiro e para a superintendência de Manaus, eles confirmaram para gente que nenhum corpo foi encontrado, conforme nota oficial. É necessário que se apure de onde o embaixador tirou essa informação", afirmou Beatriz. 

Mais cedo, a família do repórter disse que foi comunicada pela embaixada do Brasil no Reino Unido sobre a suposta descoberta dos corpos no Amazonas. Procurada, a embaixada declarou que não poderia comentar o assunto. De acordo com o colunista André Trigueiro, que trocou mensagens com Paul Sherwood, cunhado de Phillips, ele foi procurado pelo embaixador Roberto Doring. Mais cedo, Trigueiro havia relatado conversa que teve com Alessandra, a mulher do jornalista inglês, nessa mesma linha. Já a Polícia Federal, entretanto, diz somente ter encontrado material biológico no rio e encaminhado para perícia, conforme havia sido divulgado anteriormente.

Em nota, a embaixada do Brasil em Londres afirmou que o órgão mantém contato com a família de Dom Phillips a pedido dos familiares, e que não vai se pronunciar sobre o conteúdo discutido nestas conversas. "Informações atualizadas sobre o caso devem ser solicitadas às autoridades responsáveis, no Brasil", escreveu.

Quem é Roberto Doring

O site da embaixada brasileira em Londres apresenta Roberto Doring Pinho da Silva como "ministro-conselheiro". O título é o nome formal dado a um chefe adjunto que atua em missão diplomática. Ele assumiu o cargo em agosto de 2018, quando deixou a posição de ministro de segunda classe da Carreira de Diplomata do Ministério das Relações Exterior e foi designado para a nova função, segundo publicação no Diário Oficial da União (DOU).

Estadão
Publicidade
Publicidade