PUBLICIDADE

Igreja Bola de Neve afasta pastor denunciado por agressão contra a esposa e apura ‘possíveis falhas’

A pastora Denise Seixas conseguiu uma medida protetiva contra o pastor Rinaldo Pereira na Justiça

14 jun 2024 - 10h24
(atualizado às 10h54)
Compartilhar
Exibir comentários
Rinaldo Pereira, também conhecido como Apóstolo Rina, é líder e fundador da igreja evangélica Bola de Neve
Rinaldo Pereira, também conhecido como Apóstolo Rina, é líder e fundador da igreja evangélica Bola de Neve
Foto: Instagram/ap_rinaoficial

Depois de ser denunciado por agressão contra a esposa, o pastor da igreja Bola de Neve Rinaldo Pereira foi afastado de suas funções. Ele foi acusado de violência pela mulher, e também pastora, Denise Seixas. A igreja comunicou o afastamento do líder religioso nas redes sociais.

Denise conseguiu na Justiça de São Paulo uma medida protetiva contra o agressor depois de relatar supostos casos de lesão corporal, violência psicológica, ameaça, injúria e difamação. De acordo com a decisão, Rinaldo deve manter distância de 300 metros de Denise e está proibido de manter contato com ela.

No Instagram, a igreja Bola de Neve anunciou que criou um canal de ouvidoria para apurar “possíveis falhas e má conduta”.

"É com muito pesar e tristeza que nos dirigimos a vocês para tratar dos fatos que se desdobram nas últimas semanas envolvendo o Ministério Bola de Neve. O Conselho Deliberativo, junto ao Apóstolo Rina [como Rinaldo é conhecido], decidiu pelo afastamento do seu fundador para que se dedique integralmente a esclarecer os apontamentos apresentados e restabelecer sua saúde e a de sua família", diz o comunicado. A igreja passará a ser comandada pelo Conselho Deliberativo, segundo o post.

Outras medidas anunciadas pela Bola de Neve foram a criação de um Conselho de Ética para apuração e deliberação a respeito de todas as irregularidades apresentadas; a apuração de cada caso, para averiguar a necessidade de afastamento ou desligamento de lideranças; o acompanhamento das situações apresentadas pela investigação interna; e a reformulação do Regimento Interno para alinhar expectativas e evitar novos eventos semelhantes.

Vítima relatou sofrer agressões durante todo o relacionamento

Em depoimento à Polícia Civil, Denise disse que foi agredida de diversas formas pelo pastor, desde xingamentos até violência física. Em uma ocasião, ela tomou um soco no nariz, mas não denunciou Rinaldo por causa da influência que ele tem.

Em abril do ano passado, o filho de Denise divulgou um vídeo em que Rinaldo diz que a mulher está "completamente enlouquecida". Segundo a cantora gospel, ela passou a sofrer violência psicológica após essa divulgação, uma vez que o líder religioso teria ficado enfurecido.

Segundo o depoimento de Denise, ela foi obrigada a gravar vídeos desmentindo que Rinaldo seria um agressor, mas como "as pessoas perceberam que ela estava lendo", o líder da igreja Bola de Neve arremessou uma cadeira na direção da mulher, que teria desviado, informou o g1.

Nos últimos dois meses, Denise perdeu o acesso às redes sociais e às suas finanças. Sempre que precisa de dinheiro, tem que entrar em contato com uma pessoa indicada pelo pastor. Ela também foi ameaçada para ter relações sexuais com Rinaldo, que teria dado um "prazo" para ela voltar a se relacionar intimamente com ele.

A redação do Terra entrou em contato com a equipe do pastor Rinaldo, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem. O espaço está aberto para manifestação.

Em caso de violência contra a mulher, denuncie

Violência contra a mulher é crime, com pena de prisão prevista em lei. Ao presenciar qualquer episódio de agressão contra mulheres, denuncie. Você pode fazer isso por telefone (ligando 190 ou 180). Também pode procurar uma delegacia, normal ou especializada.

Saiba mais sobre como denunciar aqui.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade