PUBLICIDADE

Análise: Marvel's Spider-Man 2 é jogo dos sonhos para fãs do Homem-Aranha

Jogo traz bela história para Peter Parker e Miles Morales e mantém acertos do primeiro game

16 out 2023 - 11h02
Compartilhar
Exibir comentários
Peter Parker e Miles Morales são os personagens principais do jogo
Peter Parker e Miles Morales são os personagens principais do jogo
Foto: PlayStation / Divulgação

Em 2018, a PlayStation fez a festa dos fãs de Marvel com o excelente Marvel's Spider-Man. Cinco anos depois, Insomniac Games, desenvolvedora da franquia, lança a sequência do jogo e acerta em cheio outra vez com uma história que respeita os personagens principais.

O Game On teve a oportunidade de testar Marvel's Spider-Man 2 e o jogo mantém os aspectos que funcionaram muito bem no primeiro game e atualiza a jogabilidade de forma eficiente para este. Confira nossas impressões.

História do jogo deixa filme no chinelo

A narrativa de Spider-Man 2 é, tranquilamente, um dos seus pontos altos. O jogo irá nos mostrar Peter Parker e Miles Morales se adaptando juntos com novas fases de suas vidas, ainda conciliando o dia a dia com a persona de super herói.

Venom e Peter terão que se enfrentar no jogo
Venom e Peter terão que se enfrentar no jogo
Foto: PlayStation / Divulgação

Irei evitar spoilers, mas os trailers do jogo já mostraram que o simbionte Venom exerce um grande papel na narrativa de Spider-Man 2 ao influenciar Peter Parker. O que consigo dizer é que a queda de braço entre Parker e Venom, para decidir quem está no controle, é muito bem construída e dá uma aula no filme Homem Aranha 3, aquele que mostrou o Venom dominando Parker e fazendo com que ele dançasse.

Aliás, toda a narrativa, personagens e dialógos estão muito bem encaixados de forma a agradar muito os fãs do teioso. Peter e Miles interagem sempre de maneira muito natural e a relação entre os dois é um dos grandes pontos positivos de Spider-Man 2.

Kraven é outro vilão que aparece em Spider-Man 2
Kraven é outro vilão que aparece em Spider-Man 2
Foto: Game On / Reprodução

A comparação com o terceiro filme do teioso feito pelo diretor Sam Raimi vai além da relação Parker - Venom. Isso porque o longa de 2007 foi extremamente criticado pelo excesso de vilões que não estão de forma orgânica na história e servem apenas para bater ponto com os fãs.

Aqui, os vilões que vão surgir servem também para bater ponto com os fãs. Mas graças à introdução de Kraven à história, a adição dos inimigos do teioso ao enredo se dá de forma mais orgânica, enquanto na gameplay, os combates contra os chefes são sempre muito divertidos e de grande escala.

Spider-Man 2 não reinventa sua jogabilidade - e nem precisa

A travessia entre prédios está mais fluída em Spider-Man 2
A travessia entre prédios está mais fluída em Spider-Man 2
Foto: Game On / Reprodução

A grande novidade em termos de jogabilidade de Spider-Man 2 é a alteração contínua que é possível realizar entre os personagens de Peter Parker e Miles Morales. A mecânica é realizada através de um aplicativo desenvolvido dentro do jogo e um toque de botão é o suficiente para trocar. E ah, existe uma certa liberdade para realizar estas idas e vindas entre os dois heróis.

Falando da pancadaria, a Insomniac foi adepta daquela máxima de "time que está ganhando não se mexe". O combate de Spider-Man 2 é essencialmente o mesmo que o do primeiro jogo e também de Spider-Man: Miles Morales. Existem adições aqui e ali, com novos poderes, principalmente quando Peter Parker está com o simbionte em seu corpo, mas até estas não são nada de tão impressionantes. Isso não é necessariamente um defeito, uma vez que as mecânicas seguem divertidas e o combate fluído.

Quando vamos para a jogabilidade na travessia dos heróis, Spider-Man 2 melhorou bastante para deixar os saltos de prédio em prédio ainda mais natural. Existe até mesmo uma opção que ativa dano para o teioso se ele cair de uma grande altura. Além disso, os personagens possuem uma "Asa de Teia", que torna o sistema de travessia mais fluído.

Nova York de Spider-Man 2 é menos cansativa

Para os fãs de platina, que querem realizar todas as missões disponíveis, Spider-Man 2 é significativamente menos cansativo que Spider-Man de 2018. A Nova York do jogo não é menor que a do seu antecessor, mas é muito melhor aproveitada.

Spider-Man 2 - Nota 9
Spider-Man 2 - Nota 9
Foto:

Dessa forma, quests secundárias, bem como os colecionáveis do game estão mais orgânicos àquele universo. Essa platina será consideravelmente mais fácil e rápida do que a do jogo de 2018.

Em resumo, Spider-Man 2 não necessariamente é maior do que o seu antecessor, mas definitivamente é melhor em vários aspectos. Enquanto isso, o jogo soube também aproveitar os acertos de Spider-Man, que foram muitos, para criar uma experiência divertida e, para os fãs do teioso, imperdível.

*Esta análise foi feita no PlayStation 5 com uma cópia do jogo gentilmente cedida pela Sony PlayStation.

+Os melhores conteúdos no seu e-mail gratuitamente. Escolha a sua Newsletter favorita do Terra. Clique aqui!

Fonte: Game On
Compartilhar
Publicidade
Publicidade