0
ATP

Após 8 anos, Nadal volta ao Brasil com investimento alto e equipe grande

6 fev 2013
08h13
atualizado às 08h43
  • separator
  • 0
  • comentários

Ex-número 1 do mundo, Rafael Nadal é a principal estrela do Brasil Open, único ATP do País, que será realizado entre 11 e 17 de fevereiro no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. A negociação que culminou com o retorno do tenista espanhol ao País começou há cinco meses e incluiu o pagamento de uma "garantia financeira" alta e uma pequena exigência: um número grande de quartos individuais de hotel para a sua equipe.

Última vinda de Nadal ao Brasil acabou com título do espanhol no Brasil Open, em 2005
Última vinda de Nadal ao Brasil acabou com título do espanhol no Brasil Open, em 2005
Foto: Kock Tavares / Divulgação

Gerente do Brasil Open, Roberto Burigo confirma, em entrevista ao Terra, que um "valor alto" precisou ser pago antecipadamente para Nadal participar do torneio. O procedimento é praxe quando se trata de um jogador de ponta como o espanhol, quinto colocado do ranking mundial, e de torneios que não são de participação obrigatória dos tenistas, como o ATP 250 de São Paulo.

Burigo prefere não falar em valores, mas a reportagem apurou que a cifra paga a Nadal ronda os US$ 1,2 milhões, montante que ele também teria recebido para participar do ATP 250 de Viña del Mar, uma semana antes do evento na capital paulista.

Quando divulgou a presença de Nadal em São Paulo, em 12 de janeiro, a organização projetava que o torneio marcasse o retorno do espanhol às quadras. Sua última partida oficial foi em 28 de junho, quando perdeu na segunda rodada de Wimbledon para o checo Lukas Rosol. Desde então ele se recupera de uma inflamação no tendão patelar (síndrome de Hoffa) e de uma ruptura parcial no tendão rotuliano, ambas no joelho esquerdo.

Burigo admite que "seria marcante" caso a volta às quadras do espanhol ocorresse justamente em São Paulo, mas cita o lado positivo da participação anterior do atleta no Chile. "Com certeza vai chegar ao Brasil mais bem preparado do que chegaria, com mais ritmo de jogo. O Nadal não ia colocar o nome dele à prova assim. Ele com certeza vai fazer de tudo para se superar e voltar ao topo, não vai voltar a competir se não estiver 100%", diz.

O Brasil Open marcará o retorno do tenista ao País pela primeira vez desde fevereiro de 2005, quando, aos 18 anos de idade e na 40ª posição do ranking, conquistou na Costa do Sauípe, onde até então era disputado o evento, o segundo título da carreira. Nos três meses seguintes, ele triunfaria ainda no saibro de Acapulco, Monte Carlo, Barcelona, Roma e chegaria ao primeiro de seus sete troféus em Roland Garros.

Os problemas físicos, aliados ao fato de as competições nas quadras duras serem as mais prejudiciais a seus joelhos, propiciaram o retorno do espanhol à gira latino-americana de saibro, piso no qual é especialista. Segundo Burigo, a negociação para ter Nadal foi iniciada no período do último Aberto dos Estados Unidos entre Carlos Costa, ex-tenista espanhol que é agente do atleta, e Luiz Felipe Tavares, presidente da Koch Tavares, promotora do evento paulistano.

A concretização do acordo incluiu a garantia financeira, valor à parte recebido pelo atleta fora a premiação oferecida pelo Brasil Open, de US$ 455 mil (R$ 775 mil). O cachê é viabilizado levando-se em consideração os "patrocinadores a mais e a maior venda de ingressos" que a presença de Nadal possibilitará ao torneio, nas palavras de Burigo.

Não houve "nenhuma exigência absurda" feita pelo espanhol, segundo o gerente, que ressalta somente que foi pedido um número grande de quartos individuais de hotel. Recuperado da contusão no joelho, o atleta viajará à capital paulista com uma "equipe completa", incluindo a presença do técnico, Toni Nadal, além de preparador físico, fisioterapeuta e assessor de imprensa.

Veja também:

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade