0

'Não tem desespero', garante Hernanes, após derrota do São Paulo

Profeta volta a utilizar discurso otimista para tentar manter ânimo elevado de olho na Libertadores

9 fev 2019
21h48
atualizado às 21h48
  • separator
  • 1
  • comentários

Não será por falta de discurso motivacional de Hernanes que o São Paulo vai sucumbir na temporada. Neste sábado, após a derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta, em Campinas, pela sexta rodada do Campeonato Paulista, o camisa 15 voltou a dizer que enxerga evolução no futebol apresentado pela equipe, a exemplo do que fizera após os 2 a 0s sofridos para o Talleres-ARG.

Na ocasião, o Profeta afirmou que o time conseguiria reverter a vantagem dos argentinos, porque o São Paulo era superior. Agora, a justificativa para a suposta melhora de rendimento foi focada na melhora defensiva enxergada pelo meio-campista.

"A gente tem de ser realista, o resultado não veio mais uma vez, mas minha análise é de que o time está crescendo defensivamente. No jogo de quarta-feira, a gente aguentou concentrado por 55 minutos. Hoje, chegamos ao segundo tempo fortes mentalmente, com uma pegada boa. Usaríamos o jogo de hoje como treino, porque a gente tem de se preparar. Claro que o resulato não mostra isso, mas vai começar a vir, não tenho a menor dúvida", disse Hernanes.

O jogador ressaltou também o fato de ser início de temporada, razão pela qual ele próprio acredita ainda não estar em sua melhor condição física e técnica: "Não estamos na nossa melhor forma. Hoje é dia 9, começamos dia 4 (de janeiro), é um mês, então não tem desespero. Estamos tristes pelo resutlado, mas seguimos em frente, cabeça erguida".

Depois, em momento mais filosófico, o camisa 15 foi além: "O que dá para dizer para o torcedor é... não dá para garantir muita coisa, mas gosto de ver aquilo que ninguém vê, no sentido de que o time está crescendo com intensidade na marcação, de ganhar os duelos. Evoluímos um pouco hoje, conseguimos manter a concentração boa por quase todo o jogo. Quarta a adrenalina vai ser grande, vamos estar mais concentrados. Precisamos do torcedor. É a hora de dar a volta por cima. Futebol é assim, em um dia pode tudo mudar. É isso que estamos esperando", finalizou.

Estadão
  • separator
  • 1
  • comentários
publicidade