PUBLICIDADE

Motociclismo

Lorenzo detalha processo e denuncia Fazenda da Espanha: "Foram ao paddock da MotoGP"

Tricampeão da MotoGP, Jorge Lorenzo se manifestou após vencer o processo contra as autoridades fiscais espanholas. E fez denúncias sobre como os cinco anos de litígio o afetaram no esporte

9 jan 2023 - 11h41
Compartilhar
Exibir comentários
Jorge Lorenzo falou sobre o processo contra a Fazenda da ESpanha
Jorge Lorenzo falou sobre o processo contra a Fazenda da ESpanha
Foto: Divulgação/MotoGP / Grande Prêmio

Recentemente, Jorge Lorenzo venceu na justiça um processo contra a Fazenda da Espanha. As autoridades fiscais espanholas vinham cobrando mais de € 11 milhões (cerca de R$ 63,3 milhões) do tricampeão da MotoGP, mas não conseguiram provar que ele vivia no país e não na Suíça, como tinha declarado no Imposto de Renda.

O ex-piloto da Yamaha, Ducati e Honda, nesta segunda-feira (9), fez uma postagem em suas redes sociais sobre o assunto. O espanhol revela que, após quase seis anos de litígio, a situação o afetou também dentro do esporte — que se aposentou da classe rainha ao final de 2019.

"Como todos sabem, há muitos anos decidi ir viver em Lugano, uma pequena e moderna cidade suíça a apenas uma hora de Milão", explicou Lorenzo em sua nota. "Saí, como muitos outros atletas, porque precisava da tranquilidade que a cidade me oferecia quando não estava viajando meio mundo e pela possibilidade de treinar nas instalações da Yamaha [a 60 km de casa]. E claro, também apreciei o regime fiscal que oferece aos seus cidadãos, muito mais razoável e menos agressivo e confiscatório do que outros" seguiu.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Jorge Lorenzo venceu o processo contra a Fazenda da Espanha
Jorge Lorenzo venceu o processo contra a Fazenda da Espanha
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

"Em junho de 2017, as autoridades abriram uma inspeção fiscal contestando minha condição de residente fiscal suíço. A inspeção acabou acontecendo de 2013 a 2016. Apesar de as autoridades suíças insistirem que minha situação era legal, a Fazenda da Espanha sempre questionou tudo", acrescentou.

As autoridades fiscais espanholas cobravam € 7,8 milhões (aproximadamente R$ 45,1 milhões) da renda pessoal de Lorenzo em 2016, além de outros € 3,6 milhões (em torno de R$ 20,8 milhões) de multa. No entanto, o Tribunal Econômico Administrativo Regional da Catalunha avaliou que as autoridades fiscais não conseguiram provar que o #99 viva na Espanha naquele ano.

De acordo com o site Crash.net, as autoridades alegaram que "das 18 corridas do campeonato, quatro eram realizadas na Espanha e nenhuma na Suíça". A defesa de Lorenzo rebateu, porém, que não é ele quem decide onde as corridas da MotoGP são realizadas.

As autoridades, então, conseguiram provar que Jorge passou 168 dias na Espanha em 2016, um número inferior aos 183 que seriam necessários para que ele tivesse de pagar os impostos.

"Até mandaram alguns emissários ao próprio paddock para me obrigar a assinar um documento. Eles bloquearam a minha saída quando eu ia subir na moto minutos antes de começar uma corrida ", denunciou.

Lorenzo comentou como foram os quase seis anos de processo
Lorenzo comentou como foram os quase seis anos de processo
Foto: Instagram / Jorge Lorenzo / Grande Prêmio

"Também tive de adiantar o dinheiro que me exigiam, para evitar embargos e situações humilhantes (como figurar nas listas de pessoas fraudulosas). Uma verdadeira zona. Sofri muito nesses cinco anos e meio ", afirmou.

Como tudo ocorria antes mesmo de sua aposentadoria, Lorenzo enfatiza que teve dificuldades, mas se esforçou para se manter concentrado em seu trabalho. Ele finaliza sua manifestação dizendo que impostos são necessários, mas volta a criticar a conduta da fiscalização espanhola.

"Como profissional, sempre tentei me manter focado nas corridas. Mas devo admitir que a pressão e a angústia dessa injusta e distorcida perseguição acabaram afetando minha vida profissional. Eles vieram para me derrotar emocionalmente, coisa que outros adversários não conseguiram. E nunca houve qualquer tipo de reparação pelos danos causados. Nem um pedido de desculpas, público ou privado, carta ou telefonema. Nada", completou.

"Os impostos são necessários e se o dinheiro for bem administrado (o que nem sempre é o caso), contribuir é algo para se orgulhar. Mas também é inegável que os impostos devem ser pagos para o lugar onde você está vivendo. As autoridades espanholas iniciaram uma caça às bruxas e acharam que tinham encontrado um bode expiatório. Estavam enganados. Claro, ninguém vai me devolver as noites mal dormidas ou a paz que eu precisava para me concentrar nas pistas", finalizou Lorenzo.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Compartilhar
Publicidade
Publicidade