PUBLICIDADE

Foggia resiste a ataques e vence movimentado GP da Holanda de Moto3. Acosta é quarto

Dennis Foggia ficou sempre entre os primeiros colocados, brigando pela liderança, e abriu vantagem nas voltas finais para vencer o GP da Holanda. Sergio García e Romano Fenati fecharam o pódio, enquanto o líder Pedro Acosta recuperou-se do susto de sábado e ficou em 5º

27 jun 2021 06h44
| atualizado às 07h05
ver comentários
Publicidade
Foggia ficou entre os líderes desde o início para vencer em Assen
Foggia ficou entre os líderes desde o início para vencer em Assen
Foto: Divulgação/MotoGP / Grande Prêmio

A Moto3 abriu o domingo (27) de corridas do Mundial de Motovelocidade e entregou entretenimento puro. Com uma grande atuação, sempre se mantendo entre os líderes e abrindo nas voltas finais, Dennis Foggia venceu o GP da Holanda, a segunda conquista do piloto da Leopard na temporada 2021.

Sergio García ficou com a segunda posição. Romano Fenati, apesar de uma punição dupla durante a corrida, recuperou-se e terminou em terceiro, fechando o pódio.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Dennis Foggia venceu pela segunda vez na temporada 2021
Dennis Foggia venceu pela segunda vez na temporada 2021
Foto: Divulgação/MotoGP / Grande Prêmio

WEB STORIES

Pedro Acosta, líder do campeonato, chegou em quarto após bela recuperação depois do enorme acidente no TL3. Tatsuki Suzuki foi o quinto, com John McPhee, Darryn Binder, Gabriel Rodrigo, Xavier Artigas e Jeremy Alcoba fechando o top-10.

A Moto3 fecha essa primeira parte da temporada 2021 com Acosta na liderança, com 158 pontos, 48 a mais que García, o segundo colocado. Foggia é o terceiro na classificação, com Fenati e Jaume Masià fechando o top-5. A KTM lidera o Mundial de Construtores com 12 pontos de frente para a Honda, enquanto a Red Bull KTM Ajo sobra na disputa do Mundial de Equipes.

Agora, a Moto3 entra de férias por cinco semanas e volta a correr apenas no dia 8 de agosto, no Red Bull Ring, para o GP da Estíria. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

Saiba como foi o GP da Holanda de Moto3:

O domingo amanheceu parcialmente nublado em Drenthe. Antes da largada da Moto3, os termômetros mediam 22°C, com o asfalto chegando a 28°C. A umidade relativa do ar estava em 72%, com o vento soprando a uma velocidade de 18 km/h.

Para este fim de semana, todos os pilotos optaram pelo pneu dianteiro M, o mais duro, mas a escolha na traseira foi dividida entre o S2 e o H4.

Na hora da largada, Romano Fenati tomou a ponta, com Jeremy Alcoba caindo para o segundo lugar. Sergio García era o terceiro, à frente de Gabriel Rodrigo e Dennis Foggia. Riccardo Rossi largou o pit-lane após ser punido por treinar em um circuito do campeonato menos de 15 dias antes do GP, como proíbe o regulamento.

Enquanto Fenati mantinha a ponta, atrás dele as coisas iam mudando. García tomou o segundo posto, com Foggia subindo para terceiro, à frente de Rodrigo e Alcoba. O líder da corrida, porém, tinha de cumprir duas vezes a punição da volta longa por direção irresponsável.

Quando Romano pagou a primeira sanção, caiu para nono, com Foggia assumindo o comando da corrida, diante de Xavier Artigas, que fez uma bela manobra por fora em cima de García.

A liderança do piloto da Leopard, contudo, foi breve, já que Sergio assumiu a ponta ainda na volta 4. Foggia caiu para segundo, seguido por Darryn Binder, que teve um ligeiro toque com Artigas.

García sustentou a liderança por algum tempo, mas não sem pressão. No fim da volta 6, Foggia tomou a ponta, com Binder passando o piloto da Aspar para ocupar a segunda colocação. Mais atrás, Pedro Acosta, que perdeu a classificação após ser atropelado no TL3, já aparecia em oitavo, 1s310 atrás do líder.

Tatsuki Suzuki, que teve uma suspeita de Covid-19 mais cedo, conseguiu o resultado negativo para poder correr e avançou para terceiro, mas logo levou o troco de Binder.

García foi ao ataque mais uma vez e recuperou a liderança na curva 7, com Foggia sendo ultrapassado por Binder e Suzuki na sequência. Dennis não tardou em responder e recuperou a posição perdida pata Tatsuki.

Como normalmente acontece na Moto3, o pelotão seguia unido, o que facilitava a escalada de Fenati. Na volta dez, o italiano já ocupava o quarto posto, à frente de Suzuki, Artigas, Rodrigo, McPhee e Acosta.

Restando 13 corridas para o fim Niccolò Antonelli e Andrea Migno caíram na saída da curva 5 em um incidente que também envolveu Kaito Toba. Niccolò ainda conseguiu voltar, mas Andrea abandonou a disputa.

Enquanto isso, Foggia estava de volta à liderança, com Binder ocupando a segunda colocação. Suzuki era terceiro, com García, Fenati, Artigas, McPhee, Rodrigo, Acosta e Alcoba fechando o top-10.

Fenati aproveitou a porta aberta e passou Binder para ser terceiro colocado. McPhee era o quinto, acompanhado por Suzuki, Artigas, Rodrigo e Alcoba.

Romano, aliás, logo atacou García e assumiu o segundo lugar, passando a conduzir a caçada a Foggia, que ocupava a liderança.

García, contudo, não entregou os pontos e voltou a passar o piloto de Max Biaggi para ser segundo colocado. Binder vinha em quarto, à frente de McPhee, Suzuki e Acosta.

Com oito voltas para o fim, Adrián Fernández caiu na curva 15 e abandonou a disputa em Assen. O irmão de Raúl escapou de lesões maiores, mas a moto deu trabalho aos fiscais, já seguiu reto e depois ficou parada no asfalto. O resgate, contudo, foi bastante rápido e não atrapalhou a sequência da corrida.

Com sete voltas para o fim, Foggia tinha a liderança, mas era seguido de perto por García. Fenati aparecia em terceiro, à frente de Binder, McPhee, Acosta e Suzuki.

Na sequência, Foggia conseguiu abrir um respiro maior, já que a briga pelo segundo lugar vinha quente. Fenati acabou ficando com a posição depois de uma disputa mais intensa, com Binder em terceiro, à frente de McPhee e Garcia. Dennis chegou a abrir 0s349 de margem, mas a diferença caiu rapidamente.

Acosta levou um belo susto ao perder a frente da KTM, mas conseguiu salvar e permanecia em sexto, pertinho de McPhee, que perdeu a quinta colocação pouco depois.

Com quatro voltas para o fim, Fenati tomou a liderança de Foggia aproveitando uma bobeada do piloto da Leopard, mas Dennis foi rápido em reagir e voltar para a liderança. Binder e García também apertaram o passo e deixaram Fenati para trás em uma ultrapassagem conjunta.

García passou Binder e assumiu o segundo lugar, já quase 0s4 atrás de Foggia, que mais uma vez tinha construído um respiro. Um pouco atrás, Acosta passou Suzuki para ocupar a quinta colocação. Binder, então, caiu para sexto num susto na curva 15.

Foggia abriu a última volta em Assen com 0s160 de margem para García. Fenati era o terceiro, já com 0s5 de vantagem para Suzuki. Acosta fechava o top-5.

Dennis recebeu a bandeirada com 0s078 de vantagem para vencer pela segunda vez no ano, com García e Fenati no pódio. Acosta, que passou algumas horas em observação no hospital foi quarto, à frente de Suzuki. Binder foi punido por extrapolar os limites da pista, perdeu três posições e acabou em sétimo.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade