PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Motociclismo

Bagnaia decide e estampa #1 na GP23: "Representa quem você é"

Francesco Bagnaia bateu o martelo: vai o usar o #1 em 2023. É verdade que o número carrega uma certa 'maldição', mas o italiano se mostrou contente em estampá-lo na moto

23 jan 2023 - 11h19
Compartilhar
Exibir comentários
Bagnaia e a GP23
Bagnaia e a GP23
Foto: Ducati / Grande Prêmio

Francesco Bagnaia decidiu: o atual campeão da MotoGP vai estampar o #1 em sua GP23 nesta temporada. O anúncio aconteceu durante a apresentação das motos da Ducati nesta segunda-feira (23), num evento que aconteceu em Trentino, na Itália.

Questionado sobre trocar o #63 pelo #1 em 2023, Pecco demorou a bater o martelo. Isso porque o número também 'saiu de moda' e — pior — virou uma espécie de maldição, já que o último que o exibiu com sucesso foi Mick Doohan, em 1998, quando conquistou o derradeiro dos cinco títulos das 500cc que acumulou na carreira. Depois disso, ninguém mais defendeu a coroa de maneira bem sucedida usando o número do campeão.

Relacionadas

Alonso destaca energia e motivação da Aston Martin: "Atmosfera muito especial"
"Isso tudo é seu ou o marimbondo te mordeu, Ferrari?"
As corridas do fim de semana na TV e no streaming: 13 a 15 de janeiro

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Bagnaia vai usar os dois números em 2023
Bagnaia vai usar os dois números em 2023
Foto: Ducati / Grande Prêmio

Durante a apresentação, no entanto, o piloto de Turim confirmou o uso do #1 e de uma maneira diferente: vai estampar o #63 no capacete e ainda seguir com ele na moto.

"Eu decidi colocar os dois números lá, ainda tenho o #63 no meu capacete. Eu pensei que, faz muitos anos que não vemos o #1 na MotoGP. Sempre admirei as pessoas correndo com o #1. O #1 representa quem você é, representa que você é campeão mundial, então foi uma boa coisa para mostrar quem eu sou. Mas o #63 sempre será meu número. Sempre corri com ele", disse ele.

Após Doohan,  Álex Crivillé fez questão do #1 em 2000, Kenny Roberts Jr. em 2001, Casey Stoner em 2008 e 2012, e Jorge Lorenzo em 2011. Valentino Rossi, Lorenzo nos outros dois títulos, Marc MárquezJoan Mir Fabio Quartararo não abandonaram as numerações tradicionais em favor do número 1.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Compartilhar
Publicidade
Publicidade