1 evento ao vivo

Com sobra, Figueirense bate o Brasil-RS e deixa o Z-4; Xavante fica distante do acesso

O time de Jorginho fez o resultado de 3 a 0 no primeiro tempo e ainda pressionou pelo quarto na etapa final, enquanto o Xavante teve postura abaixo no duelo

15 jan 2021
19h29
atualizado às 19h31
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Brigando contra o descenso, o Figueirense recebeu no Orlando Scarpelli, pela 35ª rodada da Série B, o Brasil de Pelotas, que sonhava com o acesso. Depois de três jogos sem vitórias, o Figueira bateu os rivais por 3 a 0 e deixou o Z-4 pelo menos até a sequência da rodada, onde depende de resultados para se manter fora. O Xavante, que entraria de vez na briga pela elite do Brasileirão com uma vitória simples, teve seu objetivo freado.

Patrick Floriani/FFC
Patrick Floriani/FFC
Foto: Lance!

O Figueirense foi para 39 pontos e pulou da 18ª para a 15ª posição, jogando o Vitória para o Z-4. Os catarinenses agora secam na rodada o próprio time baiano e o Náutico para não voltar para a zona de rebaixamento. De quebra, o Figueira também torce para que o Paraná não vença na rodada.

Já o Xavante poderia chegar a 50 pontos e ser mais um a brigar pelo acesso, mas com a derrota manteve seus 47 pontos e complicou o sonhado objetivo. Com mais três rodadas em jogo, o Xavante só pode chegar a 56 pontos, sendo que o quarto (CSA) e o quinto (Juventude) possuem 52 pontos. O Cuiabá, terceiro colocado, chegou aos 58 com a vitória sobre o Guarani.

O próximo duelo do Figueirense será na terça-feira (19), às 19h15, contra o CRB, em Maceió. Já o Brasil jogará em casa no mesmo dia contra o América-MG, jogo marcado para às 16h.

COMO FOI O PRIMEIRO TEMPO

Figueirense e Brasil de Pelotas começaram com muita movimentação, mas com raras jogadas que resultassem em perigo. A primeira só aconteceu aos 15 minutos com Bruno Michel, do Figueira, que recebeu livre e na saída de Rafael Martins tocou por cima. A bola bateu no travessão. Na jogada seguinte, o Xavante quis dar a resposta, mas Bruno José isolou a bola.

Após o primeiro chute de Bruno Michel, o Figueira empolgou no jogo e marcou na terceira chance. Dudu chutou de fora da área e Rafael Martins espalmou para frente. Geovane Itinga aproveitou o rebote fácil para fazer o primeiro aos 19 minutos. O Xavante não mudou a fraca postura no jogo, enquanto o Figueirense seguia ameaçando no ataque. E foi premiado com novo gol aos 29 minutos. Após cruzamento de Everton Santos, Dudu apareceu na pequena área para empurrar a bola para o gol.

Para quem poderia ficar a dois pontos do G-4 caso vencesse o duelo, o Brasil parecia que não tinha objetivo na Série B. Primeiro tempo fraco da equipe de Cláudio Tencati, bom para o Figueira que aproveitou o 'desânimo' dos rivais para sufocar até os minutos finais e conseguir o terceiro gol. Diego Gonçalves cruzou e a bola foi na mão de Leandro Camilo. O próprio Diego cobrou para marcar mais um.

COMO FOI O SEGUNDO TEMPO

Incomodado com a postura do seu time, Tencati fez três alterações no intervalo: Wellissol por Pablo; Felipe Albuquerque por Rodrigo Ferreira e Sousa por Gustavo Cazonatti. Jorginho só trocou Geovane por Arouca. Com o rolar da bola, o Brasil parecia disposto a tentar pressionar o Figueira, que se defendia bem e dificultava a vida dos gaúchos.

Aos 16 minutos, Rafael Martins evitou o quarto gol ao sair da meta e defender um chute de Geovane Itinga, que ficou cara a cara. O Xavante caiu de ritmo e os catarinenses voltaram a pressionar: dos 16 aos 26 minutos, quatro chegadas muito perigosas de Itinga, Diego Gonçalves, Dudu e Alemão.

O Figueirense não baixou sua intensidade e a todo momento buscou o quarto gol. Desde os 29 minutos, o Brasil mostrou querer fazer pelo menos um gol e teve algumas tentativas de ataque sem sucesso. O tempo foi passando e a equipe de Jorginho foi administrando o duelo até o apito final do árbitro, aos 48 minutos.

Veja também:

Veja os números dos principais nomes do Flamengo na campanha do octa!
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade