0

Olimpíada deverá acontecer 'a qualquer custo' em 2021

Seiko Hashimoto disse que os esforços devem ser concentrados na luta contra o coronavírus

8 set 2020
09h42
atualizado às 09h55
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Japão está determinado em realizar "a qualquer custo" os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, adiados para 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus, por consideração a atletas e patrocinadores. A afirmação foi dada nesta terça-feira pela ministra japonesa para a Olimpíada, Seiko Hashimoto, em uma entrevista coletiva.

Ministra japonesa diz que Olimpíada deverá acontecer 'a qualquer custo' em 2021
Ministra japonesa diz que Olimpíada deverá acontecer 'a qualquer custo' em 2021
Foto: Reuters

"Acreditamos que temos tudo para acolher os Jogos a qualquer custo", disse a ministra, que é ex-patinadora, considerando que "os esforços devem ser concentrados na luta contra o coronavírus", responsável pela pandemia da covid-19 que obrigou ao adiamento das competições, olímpica e paralímpica, de 2020 para 2021.

Seiko Hashimoto, que seguiu a linha de pensamento do australiano John Coates, vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), comentou que os Jogos de Tóquio devem realizar-se por respeito "às muitas pessoas que trabalham na sua preparação e sobretudo aos atletas que estão fazendo esforços consideráveis para se prepararem para o próximo ano, num contexto difícil".

Um grupo de trabalho foi designado pelo governo japonês para formular medidas para conter a pandemia nos Jogos de Tóquio. O painel realizou a sua primeira reunião na última sexta-feira, em cooperação com o Governo Metropolitano de Tóquio e o Comitê Organizador. Nesta quarta, uma comissão executiva do COI, que em julho passado recebeu novos membros, vai se reunir para analisar os preparativos para a Olimpíada, prevista para acontecer entre 23 de julho e 8 de agosto de 2021.

A reunião da comissão executiva coincide com o anúncio da retomada de algumas modalidades olímpicas, como o judô e a ginástica (artística, rítmica e de trampolim).

Veja também:

Resumão do Mercado - #2
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade