0

Confederações brasileiras acompanham COB e apoiam adiamento de Tóquio-2020

21 mar 2020
15h27
atualizado às 15h27
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A discussão em torno do adiamento das Olimpíadas de Tóquio-2020 ganhou um novo capítulo neste sábado, depois que algumas confederações de esportes olímpicos brasileiros demonstraram apoio ao posicionamento do Comitê Olímpico do Brasil (COB) em adiar os Jogos.

A Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) emitiu comunicado oficial dizendo que irá enviar à Federação Internacional de Ginástica (FIG) uma carta endossando a conduta do COB.

"Enquanto a pandemia desencadeada pelo novo coronavírus se expande, temos observado a angústia de nossos atletas, que se veem compelidos a manter a agenda de treinos, de forma a extrair o melhor de si mesmos no maior evento do esporte internacional, ao passo que as recomendações da Organização Mundial de Saúde e das principais autoridades sanitárias do Brasil vão no sentido contrário, conclamando os cidadãos para que se recolham a seus lares e mantenham o distanciamento social", ressalta a nota.

Arthur Zanetti, Diego Hypólito e Flávia Saraiva nos Jogos do Rio-2016

A entidade é presidida por Maria Luciene Cacho Resende, que também se manifestou. "Os Jogos Olímpicos são a celebração da vida e da amizade entre os povos, e pressupõem os melhores atletas do mundo no topo de suas performances. No quadro atual, essa perspectiva é impossível. O evento não pode jamais nos colocar em risco", afirmou.

A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) também acompanhou o COB e se declarou contra a realização do evento. "A CBV entende que, diante da pandemia que toma conta do mundo inteiro, não há condições para que o maior evento esportivo do planeta seja realizado. Sabemos do momento mágico que é uma edição dos Jogos, o quanto os atletas se preparam e esperam por isso, e, justamente visando ter uma competição no mais alto nível, como merecido, que concordamos que este não é o ano ideal", escreveu o diretor executivo da CBV, Radamés Lattari.

O mesmo ocorreu com a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt). "Neste momento, o mais importante é a saúde de nossos atletas e de toda a comunidade atlética no mundo", declarou o presidente do Conselho de Administração da CBAt, Warlindo Carneiro da Silva Filho.

Veja também:

Dérbi paulista e Gre-Nal prometem esquentar a quarta-feira de decisões nos estaduais
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade