PUBLICIDADE

Torcedor do Boca preso por racismo sorri em foto com emoji de macaco

O torcedor argentino preso pela PM foi liberado na manhã desta quarta-feira, 27, após o pagamento de fiança no valor de R$ 3 mil

27 abr 2022 - 17h20
Ver comentários
Publicidade

O argentino Leonardo Ponzo, preso por injúria racial na Neo Química Arena, na noite de terça-feira (26), apareceu sorrindo em foto postada por outro torcedor do time argentino, na foto há uma legenda irônica e um emoji de macaco. "Acá no pasó nada", ou "Aqui não houve nada", diz a legenda da foto, publicada nos stories do Instagram do usuário Nicolas Garay. 

Nas redes sociais houve um movimento por parte dos usuários brasileiros para que o conteúdo seja denunciado como ofensivo. O perfil do usuário que postou foto é privado.

Torcedor do Boca preso por racismo sorri em foto com emoji de macaco
Torcedor do Boca preso por racismo sorri em foto com emoji de macaco
Foto: Reprodução/Twitter

O torcedor argentino preso pela Polícia Militar por racismo, durante a partida entre Corinthians e Boca Juniors, foi liberado na manhã desta quarta-feira, 27, após o pagamento de fiança no valor de R$ 3 mil. Leonardo Ponzo estava detido na Delegacia de Polícia de Repressão e Análise aos Delitos de Intolerância Esportiva (Drade), no prédio do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), no centro de São Paulo.

"A equipe (da PM) agiu prontamente e localizou o homem no intervalo da partida", informou a PM, em comunicado oficial. Após a detenção no estádio, o argentino foi levado para o 24º Distrito Policial (da Ponte Rasa), de onde foi transferido para a Drade na madrugada desta quarta-feira. Ele não viu o fim do jogo em que seu time perdeu por 2 a 0.

Polícia detém torcedor do Boca em Itaquera por acusação de racismo
Polícia detém torcedor do Boca em Itaquera por acusação de racismo
Foto: Amanda Perobelli / Reuters

Pego em flagrante, o homem deve responder pelo crime de injúria racial (artigo 140, parágrafo 3º do Código Penal brasileiro), que prevê reclusão de um a três anos e multa. Provavelmente, ele não poderá acomopanhar seu time em outros estádios da América do Sul.

Após vencer o rival argentino, pela fase de grupos da Copa Libertadores, o Corinthians se manifestou sobre o caso nas redes sociais. "O Corinthians repudia todo e qualquer ato de racismo e discriminação e agradece à Polícia Militar pela eficiência no apoio prestado. Esse fato só reforça a importância de nossa luta por um futebol sem ódio."

Em nota, o Boca se manifestou sobre o caso. "O Clube Atlético Boca Juniors expressa seu absoluto repúdio aos gestos racistas e xenófobos de um torcedor para os simpatizantes do Corinthians. Na próxima reunião da Comissão Diretiva se analisarão as medidas a implementar e as possíveis sanções a aplicar", divulgou o clube.

Com informações do Estadão Conteúdo

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade