0

Neymar, o colecionador de polêmicas

29 abr 2019
08h45
atualizado às 08h48
  • separator
  • comentários

Neymar, 27 anos, tem títulos importantes na carreira – Copa do Brasil e Libertadores (Santos), Liga dos Campeões da Europa e Mundial de Clubes (Barcelona), Copa da França (PSG), ouro olímpico pela Seleção brasileira, entre outros. Mas não parece se contentar com tudo isso e vive se envolvendo em encrencas. Ao agredir um torcedor, no sábado, com um soco, o jogador apenas aumentou o repertório de polêmicas que afetam diretamente a sua imagem.

Neymar reclama durante partida entre PSG e Rennes, na final da Copa da França
Neymar reclama durante partida entre PSG e Rennes, na final da Copa da França
Foto: Reuters

Embora ele aja no melhor estilo do “não estou nem aí”, subestimando a repercussão de seus atos, não há como negar que esses incidentes lhe causam prejuízos.

Irritado com uma crítica – ou provocação - de um torcedor logo após o PSG perder o título da Copa da França para o modesto Rennes, no Stade de France, Neymar revidou usando o braço e mão direita, diante de muitos smarthphones. O gesto viralizou na Internet. Pior é que, por isso, segundo o jornal L’Equipe, o atacante pode ser suspenso por até oito jogos.

Na sexta-feira (26), ele recebeu outra punição por ter criticado a arbitragem após a eliminação do PSG na Liga dos Campeões, em confronto com o Manchester United, disputado em março, pela oitavas de final. Foi suspenso por três partidas pela Uefa, em razão do que publicou em redes sociais:

“Isso é uma vergonha! Ainda colocam quatro caras que não entendem de futebol para ficar olhando lance em câmera lenta. Isso não existe! Como o cara vai colocar a mão de costas? Ah vá pra pqp!”, escreveu Neymar, naquela ocasião.

O histórico do camisa 10 da Seleção com situações que nada têm a ver com seu talento, dribles e gols já é vasto e pode traduzir em parte a estrutura falha que o cerca profissionalmente.

Confira outros exemplos de rolos que tiveram Neymar como ator principal:

Sai daí, Cavani – Assim que chegou ao PSG, quis ocupar seu lugar de protagonismo e entrou em choque com o uruguaio Cavani, então um dos jogadores mais queridos pela torcida do time francês. Neymar se projetou como cobrador oficial de pênaltis do PSG, tarefa que cabia a Cavani. Chegou a tirar a bola do companheiro, antes de uma cobrança de falta.

Cai, cai, balão – Na Copa do Mundo de 2018, na Rússia, suas quedas espalhafatosas em trombadas com adversários geraram muitos memes que correram o mundo. Ficou evidente em vários lances que ele simulava faltas.

O Rei Leão – Já foi acusado de fraudes fiscais pela Justiça da Espanha e chegou a ter bens bloqueados.

Mimimi com a imprensa – Em 2016, ao ser questionado numa entrevista coletiva em Teresópolis (região serrana do Rio) sobre seu comprometimento com a Seleção brasileira (vinha desfalcando a equipe por causa de suspensões e durante os treinos na cidade dava a entender que parecia preocupado em divulgar seus patrocinadores), Neymar se irritou e ficou um ano sem falar com a imprensa brasileira.

Sem noção – Ao ajudar a seleção a conquistar a medalha de ouro na Olimpíada de 2016, no Maracanã, em vez de comemorar a façanha, priorizou ir ao encontro de um torcedor que o criticara, na arquibancada, para bater boca. Por pouco, não houve agressão física.

Doente do pé – Mesmo em fase de recuperação de uma fratura num osso do pé direito, foi flagrado no carnaval de 2019, em Salvador, dançando até o chão. No PSG, ninguém gostou do que viu.

Treta com Tite – Então treinador do Corinthians, em 2012, Tite disse que Neymar  era um “mau exemplo”, por entradas desleais e por exagerar nas firulas. A reclamação se deu após uma derrota do Corinthians para o Santos, por 3 a 2, na Vila Belmiro, pelo Brasileiro. “É mau exemplo para o garoto que está crescendo, para o meu filho”, disse. Depois que foi para a Seleção, em 2016, Tite jamais voltou a criticar publicamente alguma atitude de Neymar.

Monstro da Vila – Então técnico do Atlético-GO, René Simões ficou boquiaberto quando viu Neymar desrespeitar o técnico do Santos, Dorival Junior, durante um jogo entre as duas equipes, pelo Brasileiro de 2010. Saiu em defesa do colega e afirmou: “Estamos criando um monstro no futebol brasileiro.”

Veja também:

 

Fonte: Silvio Alves Barsetti

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade