5 eventos ao vivo

Mano vê chance remota de ter Thiago Neves na estreia do Cruzeiro na Libertadores

Meia sofreu lesão na panturrilha direita em 10 de fevereiro e não deve enfrentar o Huracán, em Buenos Aires

26 fev 2019
13h37
atualizado às 13h40
  • separator
  • comentários

O Cruzeiro dificilmente contará com o meia Thiago Neves no seu jogo de estreia na Copa Libertadores. Nesta terça-feira, o técnico Mano Menezes avaliou como remotas a possibilidade de utilizá-lo na partida contra o Huracán, marcada para 7 de março, em Buenos Aires.

Thiago Neves sofreu lesão na panturrilha direita em 10 de fevereiro, durante um treino. E, de acordo com Mano, deverá fazer seu retorno ao Cruzeiro no compromisso seguinte, contra o Tombense, no dia 10, pelo Campeonato Mineiro. Já na Argentina, a sua vaga deverá ser ocupada por Rodriguinho, como tem ocorrido nos compromissos recentes do clube.

"A gente sempre conduz as coisas com base na verdade. É difícil o Thiago estar na estreia, mas é bem provável que Thiago esteja na volta do Mineiro. A volta na Libertadores é remota", afirmou Mano, em entrevista coletiva concedida na Toca da Raposa II.

De acordo com Mano, Marquinhos Gabriel, que deixou o duelo de domingo contra a URT reclamando de dores musculares, não deverá ser problema para o duelo com o Huracán. Já a situação do centroavante Raniel causa mais preocupação na comissão técnica do Cruzeiro.

"Acho que teremos o Marquinhos Gabriel, não foi nada tão grave. Talvez Raniel um pouco mais. É bem provável que não teremos o Raniel. Teremos o Fred, teremos o Edilson", explicou o treinador, garantindo que recentes problemas musculares não vão tirar o lateral Edílson e o centroavante Fred do compromisso.

Certo mesmo é que o Cruzeiro não poderá contar com Dedé, suspenso, no duelo com o Huracán. Murilo é o favorito para compor a dupla de zaga com Léo, mas Fabrício Bruno também pode ser a opção do treinador. Assim, o time deve atuar na Argentina com a seguinte formação: Fábio; Edilson, Leo, Murilo (Fabrício Bruno) e Egídio; Henrique e Romero; Robinho, Rodriguinho e Marquinhos Gabriel; Fred.

Além de comentar a condição física dos jogadores, a entrevista coletiva de Mano ficou marcada por homenagem ao treinador. Das mãos do presidente Wagner Pires de Sá, ele recebeu uma estatueta pela marca de 200 jogos alcançada recentemente à frente do Cruzeiro, o que o deixa como quinto treinador que mais vezes dirigiu o time. Esta é a segunda passagem de Mano pelo Cruzeiro, sendo que ele foi campeão das edições de 2017 e 2018 da Copa do Brasil, além do Mineiro do ano passado.

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade