0

Comandante do Boca admite que vantagem na Bombonera fez a diferença

1 nov 2018
00h42
atualizado às 00h42
  • separator
  • 0
  • comentários

Como Guillermo Schelotto teve de cumprir suspensão nessa quarta-feira, seu irmão gêmeo e auxiliar, Gustavo Schelotto foi quem ficou à beira do campo no Allianz Parque, comandando o Boca Juniors na semifinal diante do Palmeiras.

Em seu comentário após a classificação xeneize, Gustavo admitiu que a vantagem de 2 a 0 conquistada na Bombonera, no confronto de ida, acabou pesando para que os argentinos avançassem na Copa Libertadores da América.

"Foi muito equilibrado, a questão local pesou, fizemos uma diferença maior, nos permitiu mais tranquilidade para jogar com o resultado, mas também jogamos com a mesma intensidade, porque o Palmeiras tem qualidade para fazer a quantidade de gols que precisar a qualquer momento", analisou o também ex-jogador do Boca, que agora viverá uma disputa de título justamente contra ao arquirrival River Plate.

"Primeira vez que vão se enfrentar numa final, e é uma final de Libertadores. Estamos preparados para isso e espero que a gente consiga ganhar", concluiu.

Ábila, centroavante do Boca e ex-jogador do Cruzeiro, abriu o placar no Allianz Parque e se mostrou orgulhoso com o futebol apresentado pela equipe de Buenos Aires.

"O jogo se apresentou com o Palmeiras todo no seu campo, muita luta, mas o time sempre ficou tranquilo, jogou bola. Foi justo", resumiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade