0

Em sua 13ª final seguida, Atlético-MG desafia favoritismo e vantagem do Cruzeiro

Alvinegro, maior campeão com 44 taças, perdeu o primeiro duelo por 2 a 1 e aposta no Independência para surpreender

20 abr 2019
08h59
atualizado às 08h59
  • separator
  • 0
  • comentários

Em sua 13ª final consecutiva do Campeonato Mineiro, o Atlético enfrenta o Cruzeiro neste sábado, às 16h30, no estádio Independência, em Belo Horizonte, no confronto de volta da decisão do Estadual. Em fase bem pior do que a do arquirrival, o time atleticano desafiará o favoritismo da equipe cruzeirense, que ainda entrará em campo com a vantagem de ter vencido o duelo de ida nesta luta pelo título por 2 a 1.

Maior campeão de Minas, com 44 títulos, o Atlético ergueu a taça da competição pela última vez em 2017, quando superou justamente o Cruzeiro. No ano passado, porém, a equipe celeste, cujo clube é dono de 37 canecos em Minas, deu o troco no adversário ao batê-lo na decisão do mesmo torneio.

E não faltam motivos para o torcedor cruzeirense crer que o seu time voltará a levantar a taça neste sábado. Embora os atleticanos tenham a favor o fato de atuarem em casa e com grande maioria de torcedores no "alçapão" do Independência, os comandados do técnico Mano Menezes poderão jogar por um empate para ficar com o título.

Para completar, eles entrarão em campo com a confiança de quem também realiza campanha perfeita na Copa Libertadores, com quatro vitórias em quatro partidas, em retrospecto que já garantiu a classificação do time para as oitavas de final com duas rodadas de antecipação no Grupo B da competição.

Já o Atlético está praticamente eliminado do torneio continental, pois não depende mais de si para avançar e precisaria de uma combinação de resultados improvável para ir à próxima fase. Uma goleada por 4 a 1 para o Cerro Porteño, em Assunção, em seu último compromisso na competição, acabou sendo a gota d'água para a demissão do técnico Levir Culpi.

Sem Levir, o time atleticano terá o treinador interino Rodrigo Santana na beira do campo neste sábado, assim como já ocorreu na partida de ida da final, no último domingo, no Mineirão. E tendo em vista a melhor campanha que realizou na primeira fase do Estadual, o seu time garante o título com vitória por qualquer placar neste confronto de volta da decisão.

Neste período em que disputou 12 finais seguidas do Mineiro, o Atlético garantiu o título por seis vezes, em 2007, 2010, 2012, 2013, 2015 e finalmente em 2017. E também amargou vice-campeonatos diante do Cruzeiro em 2008, 2009, 2011, 2014 e no ano passado. Para completar, ainda foi batido pelo América na luta pela taça em 2016.

Para os cruzeirenses, um título neste sábado também significará o primeiro bicampeonato estadual da equipe após dez anos, depois das conquistas em sequência sobre os atleticanos em 2008 e 2009. Antes disso, o time também faturou o bi na década passada com os troféus erguidos em 2003 e 2004.

TIMES

Para voltar a ser campeão estadual, o Atlético espera poder ter em campo a volta do meia Cazares. O jogador colombiano luta para se recuperar plenamente de uma lesão na coxa esquerda e participou do treino da última sexta-feira, mas Rodrigo Santana não confirmou a escalação do atleta na finalíssima. E a tendência é a de que ele não inicie o confronto entre os titulares.

"A gente conta muito com o Cazares. É um jogador que desequilibra no meio-campo, muito habilidoso, tem uma boa bola parada, conhece muito bem o clássico", destacou o interino, que depois despistou: "Temos a opção do Vinícius, que, quando entrou, entrou muito bem. Tem o Geuvânio, que vem entrando, tem o Bolt. A gente treinou algumas variações, mas estamos aguardando o departamento médico para ver os 11 iniciais".

Com dúvidas na formação titular, o Atlético deve ir a campo neste sábado com Victor; Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison, Elias, Luan, Vinícius (Cazares) e Chará (Maicon Bolt ou Geuvânio); Ricardo Oliveira.

No Cruzeiro, Mano Menezes também preferiu não adiantar a escalação do time na sexta-feira, mas a equipe tem tudo para ser confirmada pelo treinador com Fábio; Edílson, Léo, Dedé e Egídio; Henrique, Lucas Romero, Robinho, Rodriguinho e Marquinhos Gabriel; Fred.

A maior novidade estará no banco de reservas: Thiago Neves, que está recuperado de uma lesão na panturrilha e não defende o time cruzeirense há mais de um mês. Ele tem grande chance de entrar na partida no decorrer desta decisão. "Thiago Neves será relacionado e será possibilidade para o clássico. Em termos de formação da equipe, vamos aguardar", despistou o treinador.

Como o mando deste jogo da decisão é do Atlético, apenas 1,8 mil torcedores cruzeirenses poderão estar no Independência para acompanhar o confronto deste sábado. Foram colocados à venda pouco mais de 21 mil bilhetes para o duelo.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade