0

Bolsonaro e Moro comemoram juntos gol do Brasil no Maracanã

Presidente da República e ministro da Justiça e Segurança Pública festejam o gol feito por Everton, que abriu o placar na decisão

7 jul 2019
18h14
atualizado às 19h03
  • separator
  • 0
  • comentários
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, celebraram juntos o gol marcado por Everton, na decisão da Copa América, que abriu o placar para a seleção brasileira contra o Peru, na decisão disputada no Maracanã.

Bolsonaro usou sua página no Twitter para publicar um vídeo em que aparece comemorando o gol do jogador do Grêmio aos 14 minutos de bola rolando. Ele chegou a erguer o braço de Moro para festejar a vantagem brasileira. Poucos minutos depois, Guerrero empatou e o presidente não se manifestou. Ainda no primeiro tempo,Gabriel Jesus colocou o Brasil na frente novamente

O ministro da Justiça, Sergio Moro , e o presidente da República, Jair Bolsonaro, momentos antes da partida entre as seleções do Brasil e Peru, válida pela final da Copa América 2019, no estádio do Maracanã, na zona norte do Rio de Janeiro
O ministro da Justiça, Sergio Moro , e o presidente da República, Jair Bolsonaro, momentos antes da partida entre as seleções do Brasil e Peru, válida pela final da Copa América 2019, no estádio do Maracanã, na zona norte do Rio de Janeiro
Foto: Gustavo Rabelo / Photopress / Estadão

O presidente da República e o ministro chegaram ao estádio por volta das 16h40. Como o sistema de som do Maracanã já reproduzia músicas da festa de encerramento do evento esportivo, não foram ouvidos aplausos nem vaias com a presença do presidente. A comitiva de Brasília contou com outros oito membros, entre eles dois dos filhos de Bolsonaro (o deputado federal Eduardo e o senador Flávio) e pelo menos cinco deputados da base de apoio do governo.

Na terça-feira passada, Moro e Bolsonaro também acompanharam o jogo do Brasil no estádio. Eles foram até o Mineirão assistir a vitória da seleção por 2 a 0 sobre a Argentina. No intervalo, o presidente chegou a deixar o camarote e ir ao gramado.

Veja também:

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade