PUBLICIDADE

Messi faz golaço, mas Argentina leva empate do Chile no Rio

Melhor em campo, seleção albiceleste perde chances após sofrer o gol de igualdade e soma apenas um ponto em seu primeiro desafio

14 jun 2021 20h03
| atualizado às 20h10
ver comentários
Publicidade

Estreando na Copa América 2021, bem que Argentina e Chile tentaram, mas acabaram ficando no empate na noite desta segunda-feira, pelo Grupo A, no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro. Saindo na frente com Messi, em bonita cobrança de falta, Vargas, na segunda etapa, tratou de igualar tudo fechando o placar em 1 a 1.

Foto: Sergio Moraes / Reuters

Com o resultado, os argentinos somaram seu primeiro ponto na chave, e já miram seu próximo compromisso diante o Uruguai, sexta-feira. Já os chilenos, que também somaram um ponto, terão agora a Bolívia pela frente no mesmo dia.

Argentina mostra força

Buscando o ataque desde os primeiros minutos, tanto a seleção chilena, quanto a argentina, não estavam dispostas a ficar no 0 a 0. No entanto, mesmo com a La Roja apostando em jogadas pelas alas, foi de Scaloni quem conseguiu criar situações mais perigosas como nas tentativas de Messi, Lautaro Martínez e Otamendi, além de três tentativas de Nicolás González que deram trabalho ao goleiro Claudio Bravo.

Chile melhora, mas Messi marca

Tentando equilibrar as ações em campo, a equipe chilena então resolveu devolver na mesma moeda a pressão sofrida. Sendo assim, em algumas chegadas, Meneses é quem dava mais trabalho ao sistema defensivo argentino, porém sem sucesso em suas tentativas.

Mas a Albiceleste, não querendo ser surpreendida, voltou a atacar. Com isso, em uma cobrança de falta frontal, Messi, com precisão, mandou no ângulo do camisa 1 chileno, marcando um golaço no Nilton Santos. Argentina 1 a 0.

VAR marca pênalti para o Chile

Voltando com uma postura mais ofensiva para a etapa complementar, os chilenos não estavam dispostos a ficar atrás no marcador. Até que aos 7 minutos, depois de uma primeira tentativa de Vargas, recebendo um passe açucarado de Pulgar, acabou parando na boa defesa do goleiro rival, dando rebote para Vidal chegar batendo, porém na disputa, Vidal acabou sendo atingido por Tagliafico.

Após checagem do VAR, o árbitro Wilmar Roldán então acabou marcando penalidade para a La Roja. Na cobrança, o próprio Vidal, viu Emiliano Martínez levar a melhor, porém a bola acabou ficando no meio da área dando a deixa para Vargas aparecer de surpresa e marcar de cabeça. 1 a 1.

Argentina volta a comandar ações

Percebendo o adversário crescer em campo, Scaloni então optou por promover suas primeiras substituições. Entre elas, as entradas de Di María, Palacios, Agüero e Joaquín Correa aumentando seu poder ofensivo.

Mesmo com as trocas surtindo efeito, voltando a aparecer de forma mais frequente ao seu campo de ataque, além de ficar mais com a posse de bola, chegou a criar boas chances de marcar, mas acabou parando em Bravo em finalizações de Messi e González.

Tudo ou nada

Também optando por mudanças, o técnico da seleção chilena também apostou em seus suplentes na expectativa de tentar a virada no marcador. Porém, mesmo colocando novos atacantes, além de reforçar seu sistema central, a Albiceleste continuou melhor em campo, montando uma verdadeira blitz na área rival, que acabou afastando todo tipo de perigo segundo o 1 a 1 até o apito final da arbitragem no Nilton Santos.

FICHA TÉCNICA

CHILE x ARGENTINA - COPA AMÉRICA - GRUPO A

Estádio: Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 14 de junho de 2021, às 18h (de Brasília)

Árbitro: Wilmar Roldan (COL)

Assistentes: Alexander Guzman (COL) e Jhon Alexander León (COL)

VAR: John Ospina (COL)

Cartões amarelos: Isla, Pulgar e Vidal (CHI) / Martínez Quarta e Lautaro Martínez (ARG)

Cartões vermelhos: -

GOL: Messi, 32'/1ºT; Vargas, 11'/2ºT

CHILE (Técnico: Martín Lasarte)

Bravo; Isla, Medel (Roco, aos 39'/2ºT), Maripán e Mena; Pulgar, Vidal (Alarcón, aos 39'/2ºT, Aránguiz e Meneses (Galdames, aos 47'/2ºT); Palacios (Brereton, aos 31'/2ºT) e Vargas (Pinares, aos 31'/2ºT).

ARGENTINA (Técnico: Lionel Scaloni)

Emiliano Martínez; Montiel (Molina, aos 40'/2ºT); Martínez Quarta, Otamendi e Tagliafico; Paredes (Palacios, aos 22'/2ºT), De Paul e Lo Celso (Di María, aos 21'/2ºT); Nicolás González (Joaquín Correa, aos 35'/2ºT, Messi e Lautaro Martínez (Agüero, aos 35'/2ºT).

Lance!
Publicidade
Publicidade