PUBLICIDADE

Argentino "exagera" realidade para tentar elogiar Jamaica

18 jun 2015 10h44
| atualizado às 10h45
ver comentários
Publicidade

Que a Argentina não pode entrar de "salto alto" diante da Jamaica no próximo sábado, pela terceira rodada do Grupo B da Copa América, é verdade. Mas o lateral direito Pablo Zabaleta deu uma boa exagerada na realidade ao tentar elogiar o próximo adversário, dizendo que vários jogadores do elenco da seleção caribenha atuam em competições "de primeiro nível" do planeta.

"A Jamaica será um rival duro. Tem zero chance de classificar, mas temos que respeitar. Não queremos confiar que será um jogo fácil. Independentemente da Jamaica ter pouca história dentro desse esporte, se virem os jogadores que estão no elenco, muitos estão jogando em ligas de primeiro nível", disse o jogador argentino.

Zabaleta elogiou Jamaica até de forma exagerada
Zabaleta elogiou Jamaica até de forma exagerada
Foto: Amilcar Orfali / Getty Images

O problema é que, dos 23 convocados pelo técnico alemão Winfried Schäfer, apenas dois jamaicanos atuam em uma competição que pode realmente ser considerada de elite: o Campeonato Inglês. São eles o zagueiro Wes Morgan, do Leicester City, e o lateral Adrian Mariappa, do Crystal Palace, dois times que costumam ficar na parte de baixo da tabela.

Até há outros jogadores atuando na Inglaterra, mas todos em times de divisões inferiores, como Reading, Leyton Orient, Yeovil Town e Derby County. Além disso, o capitão do time, o volante Rodolph Austin, estava no Leeds até maio, mas não teve seu contrato renovado e atualmente se encontra sem clube.

Portanto, ao contrário do que disse Zabaleta, a imensa maioria dos jogadores da Jamaica atua em campeonatos de pouca expressão. O que pode ser considerado de melhor nível é a Major League Soccer, dos Estados Unidos, que abriga cinco atletas. Enquanto isso, o terceiro goleiro Ryan Thompson é do Pittsburgh Riverhounds, equipe da United Soccer League, equivalente à terceira divisão americana. Os demais jogam em países como Noruega, El Salvador, Suécia e a própria Jamaica.

Conheça o trio de arbitragem brasileiro da Copa América:

Ou seja, a Argentina pode até respeitar a Jamaica e ter que jogar sério para vencer, mas não pode dizer que o rival tem larga experiência em competições de primeiro nível, como disse Zabaleta. E no fim, o lateral acabou admitindo que a qualidade técnica dos argentinos deve prevalecer sobre a aplicação e a força física dos caribenhos.

"Temos que ter em conta que a Jamaica é uma seleção que aproveita muito esse aspecto (físico). No final, a qualidade muitas vezes se impõe contra essas situações, mas não acreditamos que vai ser um rival fácil. Temos que trabalhar e tomar esse jogo com seriedade, para classificar em primeiro do grupo, que é o objetivo nesse momento", discursou Zabaleta.

Caso a Argentina faça o esperado e vença confortavelmente, provavelmente ficará em primeiro do Grupo B – a menos que o Paraguai vença o Uruguai por uma margem maior de gols. O jogo contra a Jamaica está marcado para as 18h30 (de Brasília) deste sábado, no Estádio Sausalito, em Viña del Mar.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade