PUBLICIDADE

Jejum de Jesus é inédito na história do Brasil em Copas

Até Fred, em 2014, conseguiu fazer um golzinho

3 jul 2018 10h10
| atualizado às 10h10
ver comentários
Publicidade

Desde as Copas mais remotas, nos anos 30 do século passado, quando a Seleção Brasileira contava com um artilheiro nato, Leônidas da Silva, jamais um atacante de ofício da equipe ficou quatro jogos seguidos sem fazer gol numa Copa do Mundo. A exceção se dá agora com Gabriel Jesus. Ele passou em branco nas quatro partidas do time na Rússia, embora tenha melhorado seu desempenho na vitória por 2 a 0 sobre o México, na segunda (2), na cidade de Samara.

O camisa 9 da equipe sente-se pressionado e conta com o apoio dos colegas para deslanchar. De todo modo, ainda está no zero.

Gabriel Jesus se senta em campo após jogo contra a Sérvia
Gabriel Jesus se senta em campo após jogo contra a Sérvia
Foto: Grigory Dukor Tpx Images of the day / Reuters

Com isso, não pode ser incluído, pelo menos por enquanto, numa lista de atacantes que deixaram sua marca em Mundiais. Pelé, por exemplo, não teve sequência de jejum e só faltou fazer chover em 1958 e em 1970. Romário e Bebeto, em 1994, também batizavam o gol adversário a todo instante.

Foi assim, antes, com Roberto Dinamite, em 1978, Serginho, em 1982, e Careca, em 1986. Pouco depois, a tarefa coube a Ronaldo em 1998, 2002 e 2006 – nesta Copa já em companhia de Adriano, outro que desencabulou em Mundiais.

De forma mais tímida, Luís Fabiano correspondeu em 2010 e Fred pelo menos fez um golzinho em 2014. No jogo com a Bélgica, na sexta, Gabriel pode ter nova chance de dizer ‘presente’, embora a sombra de Firmino esteja ganhando corpo.

Veja também

Veja como é feita a taça da Copa do Mundo, a mais cobiçada do planeta:

 

Fonte: Silvio Alves Barsetti
Publicidade
Publicidade