1 evento ao vivo

Avaí vence o CSA em Maceió, assume a vice-liderança e fica a um empate do acesso

Time catarinense chega a 60 pontos, um a mais que o rival alagoano a uma rodada do fim

17 nov 2018
19h26
atualizado às 21h53
  • separator
  • comentários

O Avaí levou a melhor no confronto direto por uma vaga de acesso ao vencer o CSA por 1 a 0, neste sábado, no estádio Rei Pelé, em Maceió, pela 37.ª e penúltima rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O time catarinense, que não vencia há três jogos, assumiu a vice-liderança com 60 pontos e agora só depende de suas forças para voltar à elite. Precisa de um empate em casa contra a Ponte Preta na última rodada.

O CSA, que não perdia há cinco jogos, continua com 59 pontos e vai precisar vencer o rebaixado Juventude na última rodada, em Caxias do Sul (RS). Antes do jogo, muita festa da torcida, que fez um mosaico com as imagens do técnico Felipão, que jogou no clube alagoano; Marta, a melhor jogadora do mundo por seis vezes, esteve presente em um camarote do estádio. Mais de 18 mil torcedores lotaram o Rei Pelé.

Como era esperado, o jogo começou nervoso, afinal os dois times sonham com o acesso à elite. O CSA, escalado pelo técnico Marcelo Cabo com três atacantes, em uma visível disposição de atacar. O Avaí mais recuado. Mas chegou primeiro com perigo, aos 14 minutos, quando Pedro Castro dominou a bola na área e no momento da virada foi bloqueado por Elivelton.

No minuto seguinte, o lateral-esquerdo Igor Fernandes, do Avaí, tropeçou e fraturou o braço direito. Foi substituído por Capa. Só aos 19 minutos é que o CSA ameaçou de verdade. Neto Berola cruzou em curva e o goleiro Maurício Kozlinski espalmou. Hugo Cabral pegou o rebote de primeira e o goleiro espalmou.

Mas o jogo ficou morno, sem nenhum lance agudo. Até que aos 38 minutos o Avaí abriu o placar. Guga cobrou escanteio em curva e Getúlio testou cruzado de cabeça, mandando no canto esquerdo de Lucas Frigeri. Foi o sétimo gol dele, revelação catarinense com 21 anos. Dois minutos depois, o visitante ficou com um jogador a menos com a expulsão de Capa. Ele cometeu falta em cima de Neto Berola e como já tinha recebido o amarelo, acabou levando o vermelho.

O CSA ameaçou aos 42 minutos, de lateral para lateral. Rafinha levantou bem alto e do outro lado Celsinho pegou de chapa. A bola quicou e passou por cima do travessão, tirando suspiros da torcida. Pressionado, o técnico Geninho reforçou a marcação do Avaí, sacrificando o atacante Daniel Amorim para a entrada de Yury.

O segundo tempo começou com o Avaí formando duas linhas de quatro na defesa e bloqueando o CSA. Marcelo Cabo tentou dar novo alento ao time com as entradas de Judivan e Rubens, respectivamente, nos lugares de Berola e Daniel Costa, ambos já cansados.

Quem ameaçou foi o centroavante Walter, com um chute forte e que passou perto da trave esquerda, aos 16 minutos. O time da casa parecia nervoso, o que pode ser comprovado com a entrada violenta de Xandão em cima de Getúlio, sendo expulso aos 18. Ele levantou o pé e atingiu as costas do adversário.

O tempo foi passando e os goleiros sendo meros espectadores, sem praticar nenhuma grande defesa. Até na última parte do jogo, quando o CSA se abriu todo e deixou ao Avaí a opção do contra-ataque. Em um deles, aos 33 minutos, Matheus Barbosa apareceu livre na área e na saída de Frigeri tocou em diagonal. A bola saiu fraca e, caprichosa, tocou no pé da trave e foi para fora.

Depois disso, o Avaí "cozinhou" o jogo diante de um CSA impotente no ataque. Na pressão, o clube alagoano quase empatou aos 47 minutos. Após escanteio, Elivelton testou no travessão, mas a defesa aliviou. Até o goleiro Lucas Frigeri tentou ir nos últimos cruzamentos, mas o empate não saiu.

FICHA TÉCNICA

CSA 0 x 1 AVAÍ

CSA - Lucas Frigeri; Celsinho, Elivelton, Xandão e Rafinha; Yuri, Dawhan e Daniel Costa (Rubens); Neto Berola (Judivan), Hugo Cabral e Walter (Pio). Técnico: Marcelo Cabo.

AVAÍ - Maurício Kozlisnki; Guga, Betão, Marquinhos Silva e Igor Fernandes (Capa); Judson, Matheus Barbosa, Pedro Castro e Renato; Getúlio (Jones Carioca) e Daniel Amorim (Yury). Técnico: Geninho.

GOL - Getúlio, aos 38 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG).

CARTÕES AMARELOS - Yuri, Celsinho e Pio (CSA); Matheus Barbosa e Maurício Kozlisnki (Avaí).

CARTÕES VERMELHOS - Xandão (CSA); Capa (Avaí).

RENDA - R$ 380.178,00.

PÚBLICO - 18.702 pagantes.

LOCAL - Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL).

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade