0

Rogério Ceni cobra mudança e deixa futuro no Cruzeiro em aberto

8 set 2019
14h38
atualizado em 9/9/2019 às 09h29
  • separator
  • 0
  • comentários

Rogério Ceni não mediu palavras e nem fugiu de perguntas cabeludas sobre o Cruzeiro na coletiva de imprensa após a goleada sofrida diante do Grêmio na manhã deste domingo, pelo Campeonato Brasileiro. Bastante incisivo na cobrança de mudança de postura da equipe, ele, em alguns momentos, colocou em xeque sua própria permanência no comando da equipe.

"Se for para ficar no Cruzeiro, se for para continuar no Cruzeiro, eu preciso fazer alguma coisa de diferente. Senão, eu preciso passar para outra pessoa que tenha uma mentalidade diferente para continuar. É isso que vamos tentar fazer daqui para frente", indicou o treinador em determinado momento da coletiva de imprensa.

"Às vezes as pessoas preferem que continue dessa maneira, eu não consigo dessa maneira, porque eu perdi muito, mas eu não nasci para perder. Eu não nasci para tomar pancada duas vezes seguidas como essas. É a reputação da gente que entra em jogo, independente do tempo de trabalho", falou em outro momento.

Se for para ficar no Cruzeiro, se for para continuar no Cruzeiro, eu preciso fazer alguma coisa de diferente.

Este foi apenas o quinto jogo do treinador, que soma duas vitórias, duas derrotas e um empate. Na última semana, a equipe foi eliminada da Copa do Brasil pelo Internacional e, neste domingo, em casa, acabou dominado pelo Grêmio e perdeu por 4 a 1, no nacional. A equipe está apenas na 16ª posição da tabela, a três pontos da zona de rebaixamento.

"O meu respaldo é meu trabalho e acho que nós tentamos tudo que era possível dentro dessa formação, tentando privilegiar o jogo e talvez nossa maior mudança é no sistema de jogar, é na maneira que jogar. Porque só uma mudança de atitude, de mentalidade de jogo, pode fazer o Cruzeiro sair desse momento, dessa situação. Se for preciso fazer uma intertemporada dentro do Campeonato, com 20 rodadas pra se jogar pra recuperar alguns jogadores na parte física, colocar um time mais forte em campo fisicamente, nós temos que fazer. Se eu for o treinador, nós temos que fazer", reiterou.

Confira alguns trechos da coletiva de Rogério Ceni:

Thiago Neves

"Eu desconheço qualquer conversa entre jogadores e direção. Não estou aqui para crucificar o Thiago, muito pelo contrário, é um jogador que tem uma história pelo clube, é um jogador que, dentro de suas melhores condições e cabeça boa, é muito importante. Às vezes o que aconteceu foi porque ele viu um amigo no banco de reservas, o Edilson no caso. Uma escalação nunca é divulgada três horas antes do jogo, mas tenho o maior respeito. Mais do que amigo, sou profissional, então entendo o nervosismo na saída do jogo, você quer tentar uma explicação".

Realidade do clube

"O importante é que (depois desse resultado) talvez a gente pare de sonhar com essa coisa de Libertadores quando ganha um jogo, ser campeão… Nós temos que enfrentar a realidade. Eu joguei muito tempo no São Paulo, em 2013 enfrentamos uma realidade que fugia do normal. Nós temos que nos preocupar agora em tirar o Cruzeiro desta situação, da zona de rebaixamento, para começar 2020 de uma maneira melhor".

Mudanças

"Não adianta criticar um ou outro jogador publicamente, vir aqui no microfone e dar declarações que você possa se arrepender. Nós temos que fazer algumas mudanças, não necessariamente tirar ou afastar, mas comportamentalmente, para depois fazer uma intertemporada para alguns atletas, e tentar modificar algumas coisas. Talvez seja a hora de mudar o sistema de jogo, algumas peças".

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade