PUBLICIDADE

Defesa que ninguém passa e ataque sem gol no Palmeiras

Mesmo sendo uma nulidade no setor ofensivo, Verdão entrega grande atuação defensiva diante do Boca Juniors em Buenos Aires

29 set 2023 - 03h27
Compartilhar
Exibir comentários
O mal-humorado técnico Abel Ferreira arma sistema defensivo muito bom, mas precisa encontrar saídas para a criação e o ataque
O mal-humorado técnico Abel Ferreira arma sistema defensivo muito bom, mas precisa encontrar saídas para a criação e o ataque
Foto: Lance!

O jogo de ida de Boca x Palmeiras, válido pela fase semifinal da Conmebol Libertadores, foi abaixo da média. Por exemplo, a partida Fluminense 2 x 2 Internacional na quarta-feira à noite, no Maracanã, se mostrou infinitamente melhor. 

O Palmeiras não deu espetáculo. Fase final de Libertadores, talvez, seja para mostrar mais garra mesmo. O que importou foi que os comandados do mal-humorado Abel Ferreira conseguiram arrancar o empate na temida La Bombonera.

Já que o setor ofensivo está ruim, pois o Verdão marcou apenas dois gols nas últimas seis partidas, incluindo Brasileirão e Libertadores nesse recorte, o jeito é seguir a letra do hino do clube: “DEFESA QUE NINGUÉM PASSA”

Para destacar a falta de eficiência no ataque, por gentileza, olhem esses números. Depois de cinco jogos, o time voltou a não conseguir marcar um mísero golzinho fora de casa na Libertadores. Passou em branco pela última vez na fase semifinal da competição do ano passado na derrota para o Athletico-PR por 1 a 0.

Como visitante, fez gols nas seguintes partidas da Libertadores: Bolívar 3 x 1 Palmeiras, Barcelona de Guayaquil 0 x 2 Palmeiras, Cerro Porteño 0 x 3 Palmeiras, Atlético-MG 0 x 1 Palmeiras e Deportivo Pereira 0 x 4 Palmeiras.

Ausência que piora desempenho da equipe

Sem Dudu, o Palmeiras anda sofrendo muito na criação de jogadas e no ataque ao mesmo tempo. O ídolo da torcida do Porco tem duas assistências e sete dribles em oito jogos nessa edição de Libertadores. No total, na atual temporada, são três gols e oito assistências em 42 jogos.

Nessa fase pós-lesão do Dudu, a maré não está boa para os homens de frente do Palmeiras. Falta alguém para dar volume e inteligência na esquerda do setor ofensivo. Abel não encontrou esse jogador. Anda testando Mayke como um ala direito ou até como um ponta, com Marcos Rocha cobrindo as investidas ao ataque e Artur caindo pelo lado esquerdo.

O Boca Juniors, mesmo com a presença do camisa 10 Cavani, tem muita dificuldade para pressionar seja atacando seja marcando sob pressão. Parece que os jogadores de meio-campo do time de Buenos Aires não conseguem sufocar o adversário. Uma prova? A falta de gols no jogo de ida pela fase semifinal da Conmebol Libertadores, pois o 0 a 0 facilita muito a vida do equilibrado time do Palmeiras na volta.

Últimos seis jogos do Palmeiras e a dificuldade no ataque:

Boca Juniors 0 x 0 Palmeiras – Conmebol Libertadores

Grêmio 1 x 0 Palmeiras – Campeonato Brasileiro

Palmeiras 1 x 0 Goiás – Campeonato Brasileiro

Palmeiras 0 x 0 Corinthians – Campeonato Brasileiro

Palmeiras 0 x 0 Deportivo Pereira (Colômbia) – Conmebol Libertadores

Palmeiras 1 x 0 Vasco – Campeonato Brasileiro

Últimos seis jogos do Boca Juniors e a dificuldade de vencer:

Boca Juniors 0 x 0 Palmeiras – Conmebol Libertadores

Boca Juniors 1 x 1 Lanús – Copa da Liga Argentina

Central Córdoba 0 x 3 Boca Juniors – Copa da Liga Argentina

Defensa y Justícia 1 x 0 Boca Juniors – Copa da Liga Argentina

Almagro 2 x 2 Boca Juniors (4 a 3 para o Boca nos pênaltis) – Oitavas-de-final da Copa Argentina

Boca Juniors 0 x 1 Tigre – Copa da Liga Argentina

Abraços libertadores e boleiros.

Fonte: PV Ferreira PV Ferreira é editor e jornalista esportivo com experiência em coberturas do futebol brasileiro, sul-americano e europeu, além das modalidades olímpicas e paralímpicas. As visões do colunista não representam a visão do Terra.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade