PUBLICIDADE

Jones e Gugelmin aproveitam quebra de Farrés no último dia e vencem Dakar 2022 nos UTVs

Mesmo no último dia, tudo pode mudar no Dakar. Desta vez, o jogo virou em favor de Austin Jones e Gustavo Gugelmin depois da quebra de Gerard Farrés Guell no último dia de prova na competição dos UTVs

14 jan 2022 10h56
| atualizado às 11h08
ver comentários
Publicidade
No último dia, Jones e Gugelmin conquistaram o título do Dakar 2022
No último dia, Jones e Gugelmin conquistaram o título do Dakar 2022
Foto: Frédéric Le Floch/DPPI/ASO / Grande Prêmio

CAIU MICHAEL MASI. E AGORA, HAMILTON CORRE NA F1 2022?

12ª etapa - Bisha - Jedá

Deslocamento: 516 km

Trecho cronometrado: 164 km

Percurso total: 680 km

O Brasil é novamente campeão do Dakar. Gustavo Gugelmin, navegador companheiro de equipe do norte-americano Austin Jones, conquistou seu segundo título do maior rali do mundo na disputa dos UTVs. Parceiro de Reinaldo Varela na trajetória rumo à taça da competição em 2018, o catarinense voltou a triunfar quatro anos depois, desta vez com uma conquista confirmada com muito drama e apenas no último dia de disputas da edição 2022, nos últimos quilômetros da especial derradeira nesta sexta-feira (14), entre Bisha e Jedá, na Arábia Saudita.

Os espanhóis Gerard Farrés Guell e seu navegador, Diego Ortega, abriram a especial final do Dakar na liderança da competição dos UTVs, com apenas 1min41s de vantagem para Jones e Gugelmin, e partiram para o curto trecho cronometrado de 164 km. Seriam, teoricamente, os favoritos para a conquista do título.

No último dia, Jones e Gugelmin conquistaram o título do Dakar 2022 (Foto: Frédéric Le Floch/DPPI/ASO)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Só que, ainda mais diante de vantagem tão apertada, qualquer problema pode colocar tudo a perder. E foi o que aconteceu com a dupla espanhola, que viu novamente o jogo virar. Só que, em história bem diferente da última quinta-feira, desta vez os europeus amargaram o duro revés e perderam a chance de comemorar o título nos quilômetros finais.

É a segunda vez que Farrés Guell fica com o vice-campeonato do Dakar nos UTVs. O espanhol repetiu a campanha de 2019, quando competiu ao lado do navegador Daniel Oliveras, que neste 2021 competiu ao lado do argentino Orlando Terranova na competição dos carros.

Na 12ª e última especial do Dakar nos UTVs, a vitória ficou com a dupla formada pelo lituano Rokas Baciuska e pelo espanhol Oriol Mena. Os brasileiros Rodrigo Luppi e Maykel Justo, que chegaram a liderar a competição na classificação geral e despontaram com chances de título antes de sofrerem com problemas mecânicos, finalizaram a etapa bem, na segunda colocação, com 3min23s de atraso para Baciuska e Mena. Jones e Gugelmin concluíram a especial em terceiro, 5min47s atrás dos líderes.

Farrés Guell e Diego Ortega concluíram a etapa final com 10min05s de atraso para os vencedores e viram escapar, por muito pouco, o título contra Jones e Gugelmin.

Na classificação geral, a dupla brasileiro-americana ficou com tempo total de 47h22min50s e terminou o Dakar nos UTVs com apenas 2min37s de vantagem para os espanhóis Farrés Guell e Ortega. Baciuska e Mena terminaram em terceiro na classificação geral, com 15min18s atrás dos campeões. Luppi e Justo finalizaram o Dakar 2022 em sexto lugar na competição dos UTVs.

Trata-se, portanto, da terceira vitória brasileira em uma edição do Dakar. Em 2017, com a Polaris, Leandro Torres e Lourival Roldan alcançaram uma conquista histórica e inédita na disputa inaugural nos UTVs. No ano seguinte, Reinaldo Varela conquistou o triunfo ao lado de Gugelmin a bordo da Can-Am, novamente na categoria dos UTVs. Vice-campeões no ano passado, Jones e Gugelmin levaram a Can-Am a mais uma vitória no maior rali do mundo.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade