1 evento ao vivo

Red Bull aposta em continuidade e mostra ao mundo RB16B com jeito de 2020

Nasceu o RB16B. O carro da Red Bull para 2021 lembra muito o utilizado em 2020, e não é por acaso: trata-se apenas de uma continuação do desenvolvimento feito ano passado

23 fev 2021
08h09
atualizado às 09h36
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
O novo carro da Red Bull visto por outro ângulo
O novo carro da Red Bull visto por outro ângulo
Foto: Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

Uma equipe com saudades de ser campeã, mas que ainda não teve o carro certo para isso. Essa é a história da Red Bull, que vai para mais um ano tentando cortar a vantagem da Mercedes. Esse é o grande objetivo do RB16B, carro lançado nesta terça-feira (22) às vésperas da temporada 2021 da Fórmula 1.

E a continuidade foi a palavra de ordem. Como prometido pelo time, inclusive no nome, o novo carro tem a cara do de 2020. Em uma primeira análise, as maiores diferenças estão simplesmente em detalhes mínimos no assoalho, nas asas e na presença da Honda escrito onde havia Aston Martin, que agora tem equipe própria no grid.

Sem um evento de lançamento propriamente dito, a equipe optou por uma apresentação extremamente tímida, divulgando um vídeo do novo bólido e poucas fotos, em que é possível notar que até a pintura foi preservada praticamente intacta. A expectativa é que mais informações e fotos surjam antes do shakedown do carro, marcado para a quarta-feira (24), em Silverstone.

O RB16B, carro para a temporada 2021, foi apresentado nessa terça-feira (Foto: Red Bull Content Pool)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Como as linhas do carro bem indicam, trata-se apenas de uma continuação do desenvolvimento feito em 2020. Como o regulamento quase não mudou de um ano para o outro, e com grandes mudanças previstas para 2022, a Red Bull aposta na evolução. Não é por acaso que a nomenclatura ganhou um 'B' ao fim de RB16, indicando que trata-se do mesmo projeto de carro.

Se o carro é essencialmente o mesmo, as mudanças ficam por conta da dupla de pilotos. Não Max Verstappen, que tem contrato até 2024, mas Sergio Pérez: o mexicano estava livre no mercado e correndo risco real de terminar sem vaga no grid, mas assinou para substituir Alexander Albon, que nunca engrenou em Milton Keynes. É uma nova dinâmica para a equipe tetracampeã, que deixa de ter Verstappen como referência única. Apesar de talentoso, o holandês tem menos experiência que Pérez, que vem embalado pelo ótimo fim de ano na Racing Point em 2020, incluindo vitória no GP de Sakhir.

Enquanto as novidades técnicas do RB16B ainda não ficam claras, uma coisa é certa: o motor será o centro das atenções. A Honda se despede da F1 ao fim de 2021, temporada que representa a última chance de voar mais alto com a Red Bull. Além da esperança de vencer com maior frequência, é necessário dar um gás final no desenvolvimento da unidade de potência. É que depois, entre 2022 e 2025, entra em vigor o congelamento das unidades. A escuderia de Milton Keynes já determinou que vai assumir o projeto do motor japonês, apenas preparando os componentes para as próximas temporadas.

A temporada da F1 já está por volta de um mês distante. A primeira corrida é o GP do Bahrein, em 28 de março. Antes disso, entre 12 e 14 de março, as equipes realizam a pré-temporada já em Sakhir.

Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade