PUBLICIDADE

Emerson Fittipaldi tem carros e troféus penhorados por dívida de R$ 400 mil

Bicampeão da Fórmula 1, Emerson Fittipaldi teve seus bens penhorados por determinação do Tribunal de Justiça de São Paulo por conta de dívida com empresa de eventos

22 jun 2022 - 12h12
(atualizado às 12h30)
Ver comentários
Publicidade
Emerson Fittipaldi teve bens penhorados por conta de dívida
Emerson Fittipaldi teve bens penhorados por conta de dívida
Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio / Grande Prêmio

FÓRMULA 1 2022: VERSTAPPEN VENCE NO CANADÁ. BI VEM QUANDO? | Paddock GP #292

Emerson Fittipaldi teve seus bens penhorados por conta de uma dívida de R$ 416 mil com a empresa de eventos Sax Logística de Shows e Eventos. A decisão foi assinada na terça-feira retrasada (14) pela juíza Fabiana Marini, titular da 35ª Vara Cível do Foro Central do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Fittipaldi contratou a empresa em 2012 para a realização das 6 Horas de São Paulo, etapa do Mundial de Endurance, promovida pelo ex-piloto, mas o valor acordado nunca foi pago de forma integral e a Sax Logística decidiu entrar na justiça.

A decisão do Tribunal de Justiça foi de penhorar bens do primeiro brasileiro campeão da Fórmula 1 que estão em um imóvel na Avenida Rebouças, em São Paulo, no endereço da sede da empresa que firmou o contrato. No local estariam o carro de 1976 da Coopersucar e o bólido da Patrick Racing com o qual Emerson venceu as 500 Milhas de Indianápolis de 1989, além de troféus conquistados pelo ex-piloto.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Emerson Fittipaldi foi o primeiro brasileiro a vencer a Indy 500. Triunfou em 1989 e 1993 (Foto: Indycar)

A defesa de Fittipaldi alegou que os bens pertencem ao Museu Fittipaldi, criado em 2003 "para compor o patrimônio cultural e esportivo do país, de forma a fomentar a memória esportiva do automobilismo". A defesa também disse que os bens não poderiam ser leiloados por conta de um acordo com a Receita Federal.

A juíza manteve a decisão pela penhora, argumentando que o endereço do museu é o mesmo da empresa, configurando uma "evidente confusão patrimonial". Emerson ainda tem direito a recorrer da decisão. De acordo com o G1, o bicampeão da Fórmula 1 é alvo de mais de 60 ações judiciais no Tribunal de Justiça de São Paulo, com dívidas que ultrapassam a casa dos R$ 27 milhões.

MERCEDES PODE BRIGAR COM A FERRARI NA FÓRMULA 1 2022?

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade