PUBLICIDADE

AlphaTauri diz que Tsunoda "precisa aprender a reconhecer quando está no limite"

Franz Tost avaliou que o japonês ainda precisa aprender melhor quais os limites da Fórmula 1, mas ressaltou que as principais dificuldades do companheiro de Pierre Gasly estão relacionadas à inexperiência

9 jun 2021 08h44
ver comentários
Publicidade
Yuki Tsunoda vinha bem, porém bateu no fim do Q3 causando bandeira vermelha na sessão
Yuki Tsunoda vinha bem, porém bateu no fim do Q3 causando bandeira vermelha na sessão
Foto: Red Bull Pool Content/Getty Images / Grande Prêmio

Chefe da AlphaTauri, Franz Tost acredita que Yuki Tsunoda ainda precisa aprender a reconhecer quando atinge o limite de performance na Fórmula 1. O dirigente se mostrou confiante na evolução do piloto, mas reconheceu que ele ainda precisa ganhar experiência.

Nas primeiras seis corridas da carreira na Fórmula 1, Tsunoda soma como melhor resultado o sétimo lugar no GP do Azerbaijão. E também pontuou no Bahrein, onde foi nono colocado. No entanto, Yuki sofreu uma série de acidentes e já conseguiu irritar Helmut Marko, consultor da Red Bull.

Yuki Tsunoda acabou o GP do Azerbaijão nos pontos, com a sétima colocação conquistada
Yuki Tsunoda acabou o GP do Azerbaijão nos pontos, com a sétima colocação conquistada
Foto: Red Bull Pool Content/Getty Images / Grande Prêmio

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Na visão de Tost, não falta talento a Tsunoda, mas o piloto ainda precisa ganhar experiência e reconhecer onde está o limite na F1.

"Yuki, devo dizer, a partir de sexta-feira mostrou melhora o tempo todo e foi cada vez mais rápido", disse Tost. "O tempo dele no Q2 foi realmente muito rápido e ele também esteve no Q3. Na última volta, forçou de mais e freou muito tarde", seguiu.

"Ele precisa aprender a reconhecer quando está no limite. Se você está dentro dos mesmos décimos dos pilotos da ponta, não tem muito mais espaço para ser mais rápido. Como piloto, você precisa reconhecer: 'Não posso frear mais tarde, não posso forçar mais'", defendeu. "Mas, mais uma vez, isso é um tipo de processo de aprendizado. E devo dizer que, durante o fim de semana, ele deu um grande passo à frente no entendimento do carro e, também, do lado do feedback técnico. Portanto, estou confiante de que vamos colocá-lo no caminho certo, pois ele tem uma inacreditável velocidade natural", elogiou.

Ainda, o chefe da AlphaTauri fez um balanço da temporada de Tsunoda, e confiou em evolução até o fim da temporada.

"Desde o início da temporada, não podemos esquecer que tinham algumas pistas que ele não conhecia. Foi a primeira vez em Portimão, por exemplo, onde nós simplesmente não extraímos o máximo do acerto do carro e assim por diante. Aí em Barcelona ele teve um problema técnico ― ele podia ter pontuado, mas não foi culpa dele", recordou. "Mas ele está aprendendo e, em Baku ― todos nós sabemos que é uma pista difícil, que não é tão fácil ― e até a terceira [fase] da classificação, ele estava em um nível realmente bom e mostrou bom ritmo", observou.

"Você nunca deveria bater, mas bater no Q3 é outra história. O que eu não gostei foi da batida no Q1 na primeira saída em Ímola, pois com um carro tão competitivo, você não deveria fazer isso", reprovou. "Mas essa é a inteligência que ele precisa aprender. E essa inteligência corre em paralelo com a experiência. Não podemos esperar que um jovem piloto saiba tudo", concluiu.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade