PUBLICIDADE

A permanencia de Sargeant para 2024 diz muito sobre a F1 atual

Williams confirma Logan Sargeant para 2024 e joga luz sobre alguns aspectos da F1 atual: faltam vagas e paciência

1 dez 2023 - 16h03
(atualizado às 18h54)
Compartilhar
Exibir comentários
Logan Sargeant ganha mais uma chance na F1 e mostra alguns pontos da categoria
Logan Sargeant ganha mais uma chance na F1 e mostra alguns pontos da categoria
Foto: Williams Racing

Era uma questão de tempo a renovação e ela veio. A Williams anunciou nesta sexta (1) a renovação de Logan Sargeant para a temporada 2024. Embora muitos questionassem, o discurso que vinha sendo feito pelo time já encaminhava para a continuidade do estadunidense.

A demora na confirmação deixou em dúvida se haveria uma troca. Desde meados da temporada que a posição de Sargeant estava em xeque: inicialmente, se falou em Mick Schumacher. Depois, apareceram Felipe Drugovich e até mesmo Frederik Vesti como potenciais substitutos. O próprio brasileiro confirmou que esteve conversando com o time, mas que não houve seguimento.

Sargeant foi um dos estreantes desta temporada 2023 e acabou tendo um batismo bastante duro. Embora o FW45 não seja um dos melhores carros do grid, a adaptação foi difícil, sendo largamente superado pelo seu companheiro de equipe e com corridas bem abaixo do esperado.

Não foram poucas as vozes que julgaram a ida de Sargeant para a F1 este ano como precipitada. O próprio piloto reconheceu que teve pouca oportunidade para se acostumar à categoria, pois, além dos treinos livres feitos em 2022, houve a pré-temporada. Mesmo vindo com a bagagem de um 3º lugar na F2, mesmo aqui Sargeant mostrou que, mesmo tendo pontos fortes, ainda precisava de mais tempo de pista.

Porém, a necessidade de ter um piloto norte-americano em uma equipe controlada por capitais dos Estados Unidos foi maior. A aposta foi feita e não se pagou tanto. Sargeant sentiu a pressão da F1 e, no afã de chegar em Albon e mostrar que merecia o posto, cometeu diversos erros.

Como dito antes, o FW45 tinha seus problemas e melhorou ao longo do ano, principalmente depois de Silverstone. Tanto que Albon conseguiu várias vezes ir para Q2 e Q3. Porém, Sargent demorou a reagir. Tanto que mereceu uma fala do chefe de equipe James Vowles de que o piloto tinha metas a cumprir com o time e que o ajudaria a conseguir. Pelo menos, o ponto veio em seu GP caseiro, em Austin, após a desclassificação de Hamilton e Leclerc.

James Vowles e Logan Sargeant quando do anuncio da permanencia do piloto para 2024
James Vowles e Logan Sargeant quando do anuncio da permanencia do piloto para 2024
Foto: Williams Racing

Embora com esta temporada bem mediana, não era fora do esperado a sua confirmação para mais uma temporada. Deste caso, a Williams segue atendendo aos anseios de seus controladores e atendendo a um público que a F1 vem tendo crescimento quase que exponencial.

Esta permanência de Sargeant na Williams acaba abrindo alguns pontos para discussão. Vejamos:

O primeiro é que 2024 será a primeira temporada da F1 que terá em seu início os mesmos pilotos que terminaram a temporada anterior;

Segundo: a falta de vagas na categoria. Mais um ano que o campeão da F2 não sobe para a categoria principal. Tivemos inclusive situações mais críticas, com pilotos que chegaram abaixo na tabela conseguindo postos como titulares. O próprio Sargeant entrou nesta condição.

Este ponto vai de encontro com o número de vagas da categoria e com a grande renovação de plantel que a F1 teve nos últimos anos, juntamente com a longevidade de mais pilotos. Assim, há pouco espaço para que novas vagas surjam.

Outro tópico é a importância que vem se dando ao EUA nesta nova F1. Ok, a F1 hoje é americana, a Williams é controlada por um fundo de investimento estadunidense. Mas o americano vai atender alguém que esteja dando certo. Neste ponto, a Haas também se diz americana, mas não faz muito para se mostrar nesta condição. Vale a pena tanta submissão?

Mais um aspecto é a possibilidade de dar uma chance ao piloto de mostrar o que é capaz. Se Sargeant fosse trocado agora, não seria visto como algo injustificado. Mas a vinda de um novo piloto agora poderia ser um retrocesso para a Williams, pois significaria iniciar novamente um relacionamento com um novo elemento, bem como fazer a adaptação. Nem todo novato é um Norris, Russell, Verstappen ou um Piastri...

 De certa forma, é uma passagem de pano. Porém, Sargeant mostrou potencial antes e um dos pontos que merece ser trabalhado é a parte de agir sob pressão, o que já havia lhe prejudicado na F2. Nunca se mostrou um fora de série, mas tem seus méritos e pode sim ser testado mais um ano na F1.

Sabemos que a F1 é uma máquina de moer carne e já vimos tantos serem trucidados. Uns merecidamente e outros nem tanto. Porém, Sargeant está longe de ser um dos piores que já passou pela categoria e merece sim ter mais este ano. Mas sabe que está sob os olhos de todos...

Parabólica
Compartilhar
Publicidade
Publicidade