2 eventos ao vivo

Kalil se revolta sobre possível volta do futebol: "Aqui em Belo Horizonte ninguém vai jogar"

30 abr 2020
22h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Com os rumores de que alguns times estão pretendendo voltar aos treinamentos e de que a própria Federação Mineira de Futebol já estuda o retorno do Estadual, o ex-presidente do Atlético-MG e atual prefeito da cidade de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, afirmou nesta quinta-feira que vai proibir qualquer atividade esportiva na cidade.

"Aqui em Belo Horizonte, para voltar com o futebol, a FMF terá que conversar com o prefeito, que é quem manda na cidade e proibiu eventos. Aqui não vai abrir, a não ser que a Justiça mande. O prefeito não vai abrir, aqui não tem futebol. De acordo com o STF, quem manda na cidade é o prefeito. Se eles quiserem jogar na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, aí tudo bem. Aqui em BH ninguém vai jogar", disse em entrevista à ESPN.

Kalil foi eleito prefeito em 2016

Ao ser questionado sobre uma reunião que houve entre o presidente da FMF, Adriano Aro, com o governador Romeu Zema, para discutir o plano de volta do futebol em Minas Gerais, Kalil manteve seu posicionamento e criticou aqueles que pensam o contrário.

"Falar em voltar alguma coisa agora, como o futebol, que envolve muita gente, pelo menos 200 pessoas em uma partida, além de mais 11 caras que vão se estapear dentro de campo, é um descolamento total da realidade. Ninguém sabe o que é corpo em saco plástico. Pensar em futebol, agora, é coisa de débil mental", afirmou.

O prefeito, que adotou rígidas medidas de isolamento social, ainda disse que se sente à vontade para falar do assunto, já que possui um filho médico, e comparou a doença a uma guerra. "O povo brasileiro não conhece guerra. Tivemos uma olimpíada suspensa, não tivemos Copa do Mundo por causa de guerra. O futebol é a coisa mais importante entre as menos importantes do mundo".

Em Belo Horizonte, há 593 casos confirmados de coronavírus, sendo 17 mortes.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade