0

Wall Street sobe com expectativa sobre retomada comercial e decisão do Fed

18 jun 2019
17h21
atualizado às 18h01
  • separator
  • comentários

Os mercados acionários norte-americanos subiram nesta terça-feira e o S&P 500 se aproximou de recorde após Washington ter informado retomada de negociações comerciais com Pequim. O anúncio ajudou a elevar a confiança junto com a crescente visão de investidores de que o Federal Reserve reduzirá as taxas de juros do país este ano.

REUTERS/Brendan McDermid
REUTERS/Brendan McDermid
Foto: Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que se encontrará com o presidente chinês, Xi Jinping, na cúpula do G20 no final deste mês, e disse que as negociações entre os dois países recomeçariam após uma recente pausa.

O mercado espera que o Fed deixe a taxa de juros inalterada após a reunião de política monetária de dois dias que termina na quarta-feira, mas deve estabelecer as bases para um corte ainda este ano. O Fed deve divulgar seu comunicado às 15h (horário de Brasília) da quarta-feira e o presidente da autoridade monetária, Jerome Powell, concederá entrevista a jornalistas pouco depois.

O S&P 500 ganhou 6% até agora este mês e está a apenas cerca de 1% do patamar recorde do início de maio.

Nesta terça-feira, o Dow Jones subiu 1,35%, para 26.465,54 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 0,97%, para 2.917,75. O Nasdaq Composto subiu 1,39%, para 7.953,88.

A Apple, Amazon e Microsoft subiram entre 0,8% e 2,4%, com o triunvirato de tecnologia contribuindo mais do que qualquer outro grupo para o avanço do S&P 500 e do Nasdaq.

A Boeing saltou 5,4% depois que a fabricante recebeu manifestação de interesse de encomenda de 200 jatos 737 MAX, no valor de mais de 24 bilhões de dólares a preços de tabela. O 737 MAX está com voos suspensos desde março depois de dois acidentes que mataram centenas de pessoas.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • comentários
publicidade