Saiba quais são as habilidades mais procuradas pelas empresas e como desenvolvê-las

Em tempos de pandemia, startup de recursos humanos Revelo mostra que comunicação assertiva e a capacidade de dar feedback claro são características em alta

22 out 2020
13h01
atualizado em 30/10/2020 às 18h27
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

As habilidades comportamentais dos profissionais estão sendo acompanhadas de perto pelas grandes empresas. Mas, entre tantas qualidades que um bom profissional precisa desenvolver, quais são as mais importantes neste momento? É o que mostra uma pesquisa realizada pela startup de recursos humanos Revelo com sua base de 16 mil clientes.

Os cinco comportamentos mais procurados neste momento são influenciados pelos desafios trazidos pela pandemia de coronavírus - entre eles, a necessidade de rápida adaptação ao trabalho remoto, de acordo com Lachlan de Crespigny, cofundador da Revelo.

Entenda cada uma dessas habilidades e como desenvolvê-las:

1. Comunicação assertiva

"Com o trabalho remoto, a comunicação perdeu a ajuda da linguagem corporal", diz o cofundador da Revelo. Logo, a chance de conflitos e maus entendidos pode aumentar. Corre-se o risco de ficar no meio do caminho: ou a comunicação fica ineficiente ou se pode ofender alguém quando se vai direto demais ao ponto", diz Crespigny.

Desafio:

Ser preciso, direto, mas evitar um tom agressivo.

Como desenvolver essa habilidade:

Uma das formas de testar se um candidato consegue ir direto ao ponto é pedir para a pessoa contar uma história de sua trajetória profissional em cinco ou dez minutos. Caso ela tome todo o tempo, exagere nos detalhes e não deixe espaço para perguntas, é sinal de que não é direta o suficiente.

2. Empatia e capacidade de dar feedback

Crespigny, mais uma vez, diz que se trata de uma questão de equilíbrio: embora as empresas tenham muitas vezes processos definidos para feedback, é necessário que esse retorno seja dado de forma construtiva e, ao mesmo tempo, que as pessoas entendam onde precisam melhorar.

Desafio:

Garantir que todos saibam seus pontos fortes e características a trabalhar.

Como desenvolver essa habilidade:

Uma das saídas é usar a técnica que o cofundador da Revelo define como "sanduíche". Ou seja: falar claramente sobre uma deficiência do funcionário, mas, ao mesmo tempo, mencionar dois pontos fortes dessa pessoa. A ideia é mostrar que, apesar desse aspecto negativo, a pessoa é capaz de contribuir positivamente.

3. Autogerenciamento

Essa é uma das tendências trazidas pela pandemia de covid-19. O home office trouxe um novo jeito de trabalhar, que passa a ser cada vez mais julgado pela entrega, e não pela quantidade de horas que uma pessoa passa dentro da empresa.

Desafio:

Trazer valor para a empresa - mesmo sem o chefe como "vigia".

Como desenvolver essa habilidade:

O cofundador da Revelo faz referência a Jorge Paulo Lemann, um dos fundadores da Ambev: "Há 50 anos, o empreendedor mais famoso do Brasil só fala uma coisa: o que importa é o resultado. E esse é um desafio que deve ser encarado mundialmente: chega de gerentes de horários."

4. Resolução de problemas

Essa é outra questão global. Com o mundo dos negócios evoluindo de maneira cada vez mais rápida, os trabalhadores vão ter de se mostrar cada vez mais capazes de sair de suas "caixinhas", aprendendo um pouco de marketing, tecnologia ou vendas, conforme a necessidade.

Desafio:

Criar profissionais polivalentes.

Como desenvolver essa habilidade:

Pensar menos em função e mais no todo. Na pandemia, diz Crespigny, a necessidade de pensar fora da caixa ficou mais evidente - e essa característica será muito exigida daqui em diante. "Quantos problemas novos surgiram no mundo ao longo dos últimos seis meses? O profissional que consegue fazer isso (responder a novos desafios) tem valor em qualquer lugar do mundo."

5. Relação interpessoal

Uma das características do trabalho em empresas de tecnologia são os "squads" - times de trabalho que reúnem pessoas de diferentes áreas, do técnico ao vendedor, do designer ao programador. Logo, todo mundo terá de estar preparado para fazer sua parte e também a dar palpite no trabalho do outro, sem preocupação com hierarquia.

Desafio:

Entender que a contribuição de todos é relevante.

Como desenvolver essa habilidade:

Segundo o cofundador da Revelo, saber ouvir é muito importante. "Quem disse que o chefe sempre sabe mais? Uma pessoa júnior pode perceber um problema justamente porque não tem experiência. A era do 'cale a boca, fique sentado e faça o que eu mando' não produz os melhores resultados."

 

Vem Pensar com a Gente

Confira outras reportagens do Sua Carreira:

E participe enviando suas dúvidas em áudio pelo WhatsApp 11 9 9350-7355. Não se esqueça de mandar o seu nome para que possamos identificá-lo. As dúvidas serão respondidas no podcast Trabalho Mental e nas reportagens.

Veja também:

Igualdade racial: como formar uma empresa anti-racista?
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade