0

Público de filmes e parques da Disney impulsiona lucro trimestral

9 nov 2018
15h11
  • separator
  • comentários

Os resultados da Walt Disney para o quarto trimestre fiscal superaram as estimativas de Wall Street na quinta-feira graças às multidões que invadiram seus parques temáticos e encheram os cinemas para assistir ao filme "Homem-Formiga e a Vespa" da Marvel.

Visitantes brincam em montanha-russa em parque da Disney em Xangai, China
26/04/2018 REUTERS/Aly Song
Visitantes brincam em montanha-russa em parque da Disney em Xangai, China 26/04/2018 REUTERS/Aly Song
Foto: Reuters

A empresa também revelou planos para uma nova série de "Star Wars" para o seu futuro serviço de streaming, chamado de Disney+ e que planeja lançar em 2019, visando compensar a perda contínua de assinantes da ESPN e de outros canais a cabo.

A Disney está tentando se transformar em uma empresa de entretenimento digital conforme o público migra para serviços como Netflix, YouTube, da Alphabet e outras opções digitais. A Disney está prestes a adicionar novos direitos sobre títulos de filmes e televisão com a compra de ativos da Twenty-First Century Fox por 71,3 bilhões de dólares.

A receita total no trimestre aumentou 12 por cento, para 14,3 bilhões de dólares, acima da estimativa média dos analistas de 13,73 bilhões. O lucro líquido subiu 33 por cento, para 2,3 bilhões de dólares, e o lucro ajustado por ação, para 1,48 dólar, acima do 1,34 dólar estimado por analistas, segundo dados I/B/E/S da Refinitiv.

O presidente-executivo, Bob Iger, está otimista com as perspectivas do Hulu, aplicativo de transmissão de programas de TV ao vivo e por demanda. A Disney irá possuir 60 por cento do serviço de streaming após o negócio com a Fox, e Iger disse à CNBC que a Disney estaria interessado em comprar as participações restantes da Comcast e AT&T se eles estiverem dispostos a vender.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade