PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

IGP-10 acelera queda em abril com alívio de commodities

Com esse resultado, o Índice Geral de Preços-10 passou a acumular em 12 meses baixa de 3,81%

16 abr 2024 - 08h30
(atualizado às 09h25)
Compartilhar
Exibir comentários
É possível acessar a plataforma da Nota Fiscal Paulista por meio do site oficial ou baixando o aplicativo do programa
É possível acessar a plataforma da Nota Fiscal Paulista por meio do site oficial ou baixando o aplicativo do programa
Foto: Reprodução/iStock/RafaPress

O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) acelerou a queda para 0,33% em abril, ante baixa de 0,17% no mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta terça-feira, destacando tendência de arrefecimento de algumas commodities.

Com esse resultado, o IGP-10 passou a acumular em 12 meses baixa de 3,81%. A expectativa em pesquisa da Reuters era de um recuo de 0,19% no mês.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral, caiu 0,56% em abril, acelerando as perdas ante 0,40% no mês anterior.

"Embora algumas commodities significativas no índice ao produtor, como a soja, estejam experimentando um aumento de preços, um amplo conjunto de outras commodities, incluindo minério de ferro, feijão e milho, apresenta uma tendência de queda", explicou André Braz, coordenador dos índices de preços.

Segundo ele, esse efeito também se espalhou para o varejo. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10), que responde por 30% do indicador geral, desacelerou a alta para 0,21% em abril, de 0,48% antes.

Os destaques foram as desacelerações das altas dos grupos Transportes (0,87% para 0,19%) e Despesas Diversas (1,38% para 0,19%). O grupo Alimentação também perdeu fôlego, arrefecendo o avanço de 0,88% para 0,73%, enquanto o grupo Comunicação foi de avanço de 0,31% para baixa de 0,21%.

Educação, Leitura e Recreação intensificou sua queda de 1,49% para 1,72%, enquanto Vestuário (0,08% para 0,05%) e Habitação (0,55% para 0,54%) tiveram decréscimos mais comedidos em suas taxas de variação.

"Contudo, novas incertezas nos cenários doméstico e internacional poderiam reverter essa tendência de desaceleração, especialmente com um possível aumento nos preços dos combustíveis, afetando tanto o índice ao produtor quanto ao consumidor", advertiu Braz.

Seu comentário vem num momento de tensão conforme o mundo aguarda uma resposta de Israel ao primeiro ataque direto do Irã contra o país.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) acelerou a alta para 0,33%, de 0,27% no mês passado.

O IGP-10 calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade