PUBLICIDADE

Grupo que aborda concessão do Santos Dumont faz primeira reunião e deve elaborar relatório em um mês

Equipe reúne cinco indicados pelo Ministério de Infraestrutura e cinco pelo Estado do Rio

19 jan 2022 22h35
ver comentários
Publicidade

RIO - O Grupo de Trabalho Temporário criado pelo Ministério de Infraestrutura para estudar o modelo de concessão do aeroporto Santos Dumont e os impactos sobre o aeroporto internacional Galeão/Tom Jobim realizou nesta quarta, 19, sua primeira reunião, virtual, informou a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan).

No primeiro encontro, os 10 integrantes - cinco indicados pelo ministério e cinco pelo Estado do Rio - definiram o calendário de reuniões para cumprir o prazo de 18 de fevereiro para entrega do relatório final ao ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, além das ações necessárias para a elaboração do documento. O Tribunal de Contas da União (TCU) também analisa a matéria.

Segundo a Portaria que criou o grupo (62/22), publicada hoje no Diário Oficial da União, o relatório final "terá caráter consultivo e não vinculará os órgãos da Administração Pública federal às recomendações nele contidas".

O grupo foi criado após as autoridades fluminenses - governo estadual, municipal e Assembleia Legislativa -, além de entidades representativas da sociedade e setor produtivo, se posicionarem totalmente contra o edital de concessão do Aeroporto Santos Dumont, cujo texto é considerado prejudicial ao desenvolvimento do Aeroporto Internacional do Galeão e do Rio de Janeiro.

Segundo a Firjan, a modelagem da concessão do Santos Dumont deve considerar a necessidade de sua coordenação com o Galeão - o chamado "Modelo Rio". "O Modelo Rio de integração entre os dois terminais pode propiciar ao estado do Rio de Janeiro um acréscimo de 0,6% em seu PIB ao ano, ou R$ 4,5 bilhões", avaliou a Firjan na nota técnica "Sistema Multiaeroportos do RJ".

Estadão
Publicidade
Publicidade