PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

'Acredita': quem pode participar do novo programa de crédito e renegociação de dívidas do governo

Presidente Lula assinou a medida provisória que institui o programa voltado a MEIs, micro, pequenas e médias empresas; saiba mais

22 abr 2024 - 17h13
Compartilhar
Exibir comentários
'Não queremos um País que dependa eternamente do Bolsa Família', diz Lula em lançamento de programa:

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assinou, nesta segunda-feira, 22, a medida provisória que institui o Acredita, programa de crédito e renegociação de dívidas voltado a pequenos negócios. O programa é formado por quatro eixos principais, que contam com ações como a liberação de microcrédito para inscritos no CadÚnico e a criação do Desenrola Pequenos Negócios.

O que o programa Acredita oferece?

Confira um resumo de cada um dos quatro eixos do Acredita:

  • Eixo 1: Acredita no primeiro passo

Programa de microcrédito destinado a famílias de baixa renda inscritas no Cadastro Único (CadÚnico). Metade das concessões será destinada a mulheres. O sistema de garantia de crédito será de R$ 500 milhões em 2024, segundo o governo federal.

  • Eixo 2: Acredita no seu negócio

Nesse eixo, estão previstos o Desenrola Pequenos Negócios, o Procred 360, melhorias no Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) e o Programa Sebrae para Facilitação de Acesso ao Crédito para os Pequenos negócios (Acredita MPE).

O Desenrola Pequenos Negócios será voltado a renegociação de dívidas de microempreendedores individuais (MEIs) e pequenas empresas -- com faturamento bruto anual de até R$ 4,8 milhões. Essa ação passa a valer a partir de terça-feira, 23, conforme divulgado na cerimônia de lançamento do programa.

Já o Procred 360 estabelece condições especiais de taxas e garantias por meio do Fundo Garantidor de 1Operações (FGO) para MEIs e microempresas com faturamento anual de até R$ 360 mil -- com taxas de juros competitivas fixadas à Selic + 5% ao ano.

Já para empresas de porte médio, com faturamento de até R$ 300 milhões, serão reduzidos os custos do Programa Emergencial de Acesso a Crédito (Peac), com 20% de redução do Encargo por Concessão de Garantia (ECG).

Com relação às melhorias no Pronampe, agora empresas com o Selo Mulher Emprega Mais e as que têm mulheres como sócias majoritárias ou sócias administradoras, poderão realizar empréstimos de até 50% do faturamento bruto anual do ano anterior.

Por fim, o  Programa Sebrae para Facilitação de Acesso ao Crédito para os Pequenos negócios (Acredita MPE) diz respeito à ampliação de linhas de crédito do Fundo de Aval para Micro e Pequenas Empresas (Fampe) pelo Sebrae. Nos próximos três anos, o Fundo disponibilizará R$ 30 bilhões em crédito para fomentar parcerias com bancos públicos, cooperativas de crédito, agências de desenvolvimento e, por meio do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), bancos privados.

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante a cerimônia de lançamento do Programa Acredita, no Palácio do Planalto
O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante a cerimônia de lançamento do Programa Acredita, no Palácio do Planalto
Foto: Reprodução/Presidência da República/Ricardo Stuckert
  • Eixo 3: Acredita no crédito imobiliário 

Desenvolvimento de um mercado secundário de crédito imobiliário que beneficiará famílias de classes média que não se enquadram em programas habitacionais populares.

Segundo o governo, a iniciativa tem como objetivo estimular o setor da construção civil e promover a geração de emprego, renda e crescimento econômico.

  • Eixo 4: Acredita no Brasil sustentável

O Eco Invest Brasil - Proteção Cambial para Investimentos Verdes (PTE) irá incentivar investimentos estrangeiros em projetos sustentáveis no Brasil, oferecendo proteção cambial. 

O eixo oferecerá linhas de crédito a custo competitivo para financiar parcialmente projetos de investimentos alinhados à transformação ecológica que utilizem recursos estrangeiros.

Quem se enquadra no programa Acredita?

Segundo o governo federal, o público-alvo de cada um dos eixos é:

Eixo 1: Acredita no primeiro passo 

Famílias de baixa renda inscritas no Cadastro Único, trabalhadores informais e pequenos produtores rurais que acessam o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

Eixo 2: Acredita no seu negócio

  • Desenrola Pequenos Negócios: MEIs, micro e pequenas empresas;
  • Proced 360: MEIs e microempresas com faturamento de até R$ 360 mil;
  • Modernização do Pronampe: empresas em que mulheres empreendedoras são sócias majoritárias ou sócias administradoras;
  • Acredita MPE Sebrae: Micro e pequenas empresa.

Eixo 3: Acredita no crédito imobiliário 

Mercado imobiliário e setor de construção civil. Beneficiará principalmente famílias de classe média que não se enquadram em programas habitacionais populares e consideram elevado o custo de financiamento a taxas de mercado. 

Eixo 4: Acredita no Brasil sustentável

Investidores estrangeiros.

Como participar do Acredita?

Como o programa foi lançado oficialmente nesta segunda-feira, 22, ainda há poucas informações sobre os caminhos para participar de cada um dos quatro eixos.

O que foi informado, durante a cerimônia de lançamento do Acredita, é que a medida Desenrola Pequenos Negócios já entrará em vigor a partir desta terça-feira, 23. Porém, ainda não foram divulgados mais detalhes sobre esse procedimento. 

O Procred 360, outra iniciativa do programa, passará a valer em 60 dias. Já as demais ações seguem sem prazo definido.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade