PUBLICIDADE

Pix acelera inclusão financeira e fomenta economia instantânea

O sucesso do Pix permite a inclusão financeira de desbancarizados, aponta estudo.

16 mai 2022 01h00
| atualizado em 25/5/2022 às 18h14
ver comentários
Publicidade
Foto: Adobe Stock

Os números do Pix são impressionantes. Ao longo dos dois últimos anos, desde que ele foi implementado pelo Banco Central, já foi usado por mais da metade da população brasileira ― uma penetração maior que a de cartões de crédito. É o que indica o estudo Beyond Borders do Ebanx, fintech de pagamentos latino-americana.

"Os pagamentos instantâneos e as carteiras digitais são alguns dos métodos mais eficientes para gerar inclusão financeira e permitir que milhões de pessoas tivessem acesso a bens e serviços digitais", afirma Paula Bellizia, presidente de Pagamentos Globais do Ebanx.

"Esses pagamentos têm conectado mais empresas a consumidores, muitos dos quais são compradores digitais de primeira viagem, que desejam mais variedade e uma experiência de compra simples e intuitiva. A ascensão dessa nova 'economia instantânea' é peça chave para que empresas de todo o mundo acessem o enorme potencial do mercado latino-americano e aumentem sua fatia neste bolo", completa ele.

Ainda que não seja exatamente uma surpresa, o estudo indica que a maioria dos brasileiros que usam o Pix são consumidores online de primeira viagem: 62% dos usuários do Ebanx que pagaram com o Pix não haviam feito nenhuma compra naquele site ou aplicativo no último ano. Essas transações representaram 40% de todo o volume Pix para as empresas que usam o Ebanx ― e um aumento de 20% nas vendas em geral.

A facillidade de uso do Pix através do celular é o grande segredo de seu sucesso. Hoje, 98% de todas as transações Pix são realizadas por celulares, o que representa cerca de 70% do volume da nova forma de pagamento, segundo dados do Banco Central do Brasil obtidos pelo Ebanx. 

"É fascinante ver como os consumidores migraram massivamente para o Pix em pouco mais de um ano. Isso demonstra um alto nível de confiança em um novo método de pagamento digital. Para a América Latina, isso é transformador", afirma Erika Daguani, VP de Produto do Ebanx. "O Pix democratiza o acesso ao e-commerce e traz mais gente para a mesa. Pessoas que não tinham cartão de crédito, por exemplo, ou empreendedores que não tinham maquininha, agora podem receber pagamentos rapidamente pelo Pix."

Redação Dinheiro em Dia
Publicidade
Publicidade