1 evento ao vivo

Bolsas de NY fecham em leve alta, com investidor aguardando reunião do Fed

17 jun 2019
18h46
  • separator
  • comentários

Os principais índices acionários de Nova York fecharam em leve alta nesta segunda-feira, 17, na semana em que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) anuncia decisão de política monetária. Os ganhos das bolsas foram liderados, principalmente, pelos papéis de gigantes de tecnologia, com o Facebook à frente do pelotão, com os agentes atentos ao lançamento da criptomoeda da empresa.

O índice Dow Jones encerrou o pregão perto da estabilidade, subindo 0,09%, aos 26.112,53 pontos. A mesma variação foi verificada no S&P 500, que encerrou o dia com 2.889,67 pontos. O Nasdaq, por sua vez, subiu 0,62%, para 7.845,02 pontos.

Apesar de não ser esperado um corte na taxa de juros por parte do Fed já nesta reunião de junho, a reunião de política monetária é o principal evento da semana, que deve contar com as atenções dos investidores. Especulações sobre possíveis cortes nos juros pelo banco central ainda este ano ganharam força diante de indicadores abaixo do esperado da economia americana. Nesta segunda, a distrital de Nova York do Fed apontou que o índice de atividade industrial Empire State apresentou o maior recuo mensal já registrado ao cair de 17,8 pontos em maio para -8,6 pontos agora. Parte da queda observada no indicador se deve ao recuo no número de novos pedidos, apontou a instituição.

O estrategista-chefe de ações americanas do Morgan Stanley, Michael Wilson, apontou, em nota a clientes, que as decepções dos investidores com os dados estão aumentando. Ele comentou que as bolsas têm um relacionamento estreito com as novas encomendas medidas pelo ISM e com as margens de lucro do S&P 500. Para ele, um corte de juros pelo Fed em julho "atenderia às expectativas e seria gentilmente favorável às ações por um tempo", mas a forte correlação das bolsas com os outros itens apontaria para um cenário negativo para o desempenho dos índices acionários americanos.

No setor corporativo, o destaque ficou para o salto de 4,24% dos papéis do Facebook, após a companhia informar que aumentará gastos com publicidade e que lançará uma criptomoeda, cuja operação será apoiada por empresas como PayPal Holdings (+0,85%) e Über Technologies (+1,27%). De acordo com o Wall Street Journal, uma moeda própria permitiria que usuários fizessem transações financeiras dentro da rede social sem taxas, para, por exemplo, fazer compras.

As ações da Boeing também avançaram e fecharam em alta de 2,23%. A companhia anunciou que investirá 1 milhão na indústria de combustível sustentável para aviação no Brasil. Em Nova York, o ADR da Embraer caiu 0,23%, em dia de anúncio de contrato de US$ 1,9 bilhão com a United Airlines, contrariando a alta de 0,37% nas ações da empresa negociadas na B3, a Bolsa de São Paulo.

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade