0

Blackstone capta US$9,4 bi para fundos imobiliário e de private equity na Ásia

13 jun 2018
12h41
  • separator
  • comentários

A Blackstone disse que levantou cerca de 9,4 bilhões de dólares para dois novos fundos, sendo um deles o maior fundo dedicado a investimentos imobiliários na Ásia e outro o seu primeiro fundo de private equity para a região.

Os fundos somam-se ao amplo montante de dinheiro da indústria voltada para aquisições na Ásia e investimentos, com investidores atraídos pelo rápido crescimento econômico em relação a outros grandes mercados.

A empresa levantou 7,1 bilhões de dólares para o que é chamado fundo imobiliário regional "oportunista". A crescente urbanização e alta na renda, particularmente na China e na Índia, têm impulsionado o apetite de investidores por shopping centers, galpões e outros ativos imobiliários.

"O tamanho desse fundo... nos dá flexibilidade para buscar uma gama de oportunidades e comprometer capital com velocidade e escala", disse Ken Caplan, co-chefe global da Blackstone Real, em comunicado.

O negócio de investimento imobiliário da Blackstone foi fundado em 1991 e tem cerca de 120 bilhões de dólares em capital sob gestão. A carteira inclui hotel, escritório, propriedades de varejo e industriais nos Estados Unidos, Europa, Ásia e América Latina.

Seu primeiro fundo imobiliário voltado para Ásia, que fechou em 2014, levantou 5,08 bilhões de dólares.

O fundo de private equity fechou em cerca de 2,3 bilhões de dólares, disse a Blackstone, acrescentando que agora tem pelo menos 3,8 bilhões de dólares para investir em capital na Ásia quando "compromissos associados" de seu fundo global de aquisição são considerados.

Cerca de dois terços do fundo de private equity, assim como a contribuição de seu fundo global, será usado para investir na China e na Índia, disse uma fonte com conhecimento direto do assunto.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade