2 eventos ao vivo

Amazon lança Prime no Brasil com frete grátis e streaming

O frete gratuito funciona para entregas em todo o Brasil, sem valor mínimo de compra e com prazos diferentes para cada região

10 set 2019
11h13
atualizado às 11h42
  • separator
  • 0
  • comentários

A Amazon lança nesta terça-feira, 10, no Brasil o programa Amazon Prime, que dá a seus assinantes direito a frete grátis em milhares de produtos com selo Prime e acesso a serviços de streaming, como Prime Video, Prime Music e Prime Reading. Os dois últimos, inclusive, são novidades que ainda não existiam no Brasil. Novos membros poderão experimentar o Amazon Prime de graça durante 30 dias e, após esse período, fazer uma assinatura mensal de R$ 9,90. No plano anual, o valor é de R$ 89,00.

O frete gratuito funciona para entregas em todo o Brasil, sem valor mínimo de compra e com prazos diferentes para cada região.

Em mais de 90 cidades, incluindo as Regiões Metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte, além das capitais e principais cidades do Sul e Sudeste, o prazo é a partir de dois dias úteis. Em outras regiões, como Nordeste, varia de cidade para cidade, sendo três dias para Salvador e seis para Recife e Fortaleza, por exemplo.

"Nosso objetivo é sempre estar melhorando a velocidade, entregando mais rápido. Temos um índice de referência que precisamos acertar mais de 98,5% das entregas, no sentido da promessa. E, quando a gente não cumpre, procura entender o que aconteceu", disse ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) o presidente da Amazon Brasil, Alex Szapiro.

Presente em outros 18 países, o Prime chega para competir com alguns programas já existentes em algumas empresas varejistas no Brasil, como B2W e Mercado Livre. No caso da primeira, os sites das Lojas Americanas, do Submarino e do Shoptime têm um sistema que também leva Prime no nome e funciona de maneira semelhante, mas com menor abrangência.

No Americanas Prime, o serviço está disponível para produtos selecionados e para CEPs das regiões Sul e Sudeste. A assinatura custa R$ 79,90, pode ser parcelada em 12 vezes e inclui duas entregas "a jato", que estabelece que pedidos aprovados até o meio dia sejam entregues no mesmo dia até as 22 horas. Após esse horário, a entrega é feita em um dia útil.

No Mercado Livre, existe o Mercado Pontos, no qual a gratuidade da entrega é concedida mediante o acúmulo de pontos. A cada R$ 2 em compras, o cliente ganha 1 ponto. Há valor mínimo de compras, no entanto, que segue uma tabela que varia de acordo com o número de pontos acumulados: quanto mais pontos, menor o valor mínimo.

Já o Magazine Luiza não possui um programa de frete grátis, apenas concede o benefício no aplicativo Magalu a produtos a partir de R$ 99 vendidos e entregues diretamente pelo site. Porém, a isenção da cobrança de frete não vale para entregas na região Norte do Brasil, mobília ou vendidos e entregues por lojas parceiras.

A Amazon não revela valores investidos para o lançamento do Prime, nem no Brasil como um todo, mas, desde 2012, quando iniciou sua operação no País, o capital social passou de menos de R$ 5 milhões para acima de R$ 800 milhões.

"A gente pensa no momento certo pra fazer as coisas. Ano após ano, as coisas foram sendo muito boas e culminaram em todo esse investimento. Quando uma empresa que não está indo bem, não sai de R$ 5 milhões pra R$ 800 milhões", disse Szapiro.

Streaming

O Amazon Prime, além de rivalizar com as varejistas, acirra a disputa pelo mercado de streaming no Brasil. Uma pesquisa conduzida pela Deloitte no ano passado mostrou crescimento do consumo de streaming de filmes, séries de TV e música no País por meio de smartphones. Numa amostra de duas mil pessoas consultadas, 58% disseram utilizar streaming de vídeo pelo menos uma vez na semana e 56% declararam consumir streaming de música na mesma frequência.

No caso do Prime Video, o serviço já estava disponível no Brasil desde 2016, sob preço promocional de R$ 7,90 nos primeiros seis meses e de R$ 14,90 após esse período. Segundo a companhia, quem já é assinante do Prime Video ganhará automaticamente um upgrade para o Amazon Prime e passará a pagar R$ 9,90. No Twitch Prime, voltado para gamers e lançado juntamente com o Prime Video, serão disponibilizados itens gratuitos (loots) para os jogadores, como novos personagens e objetos, além de uma seleção de jogos e assinatura em um canal da Twitch a cada mês.

De acordo com a ferramenta de busca para streaming de vídeos JustWatch, o catálogo do Prime Vídeo no Brasil possui cerca de 2,5 mil títulos, entre séries e filmes, abaixo dos quase 4 mil títulos oferecidos pela Netflix, líder do segmento. "Um diferencial que a gente tem é a possibilidade de assistir literalmente onde quiser, porque 100% do conteúdo pode ser baixado", afirmou Szapiro.

Outro diferencial é o preço. Os R$ 9,90 mensais da Amazon estão abaixo do preço praticado por outras plataformas de streaming. A Netflix, por exemplo, oferece três planos mensais, cujos preços variam de R$ 21,90 a R$ 45,90, de acordo com a quantidade de telas simultâneas disponíveis, sendo quatro o número máximo. No Prime Video, o limite é de três plataformas diferentes.

A principal novidade fica por conta do Prime Music, inédito no Brasil, e que chega com uma oferta de mais de dois milhões de músicas. Para ter acesso a mais conteúdo, haverá opção de um serviço premium, o Amazon Music Unlimited, com mais de 50 milhões de músicas, incluindo os últimos lançamentos.

Amazon Prime investe em streaming no Brasil com planos de R$ 9,99
Amazon Prime investe em streaming no Brasil com planos de R$ 9,99
Foto: Amazon / Reprodução

"Nosso time está trabalhando há meses na curadoria baseada no Brasil. Precisamos ter conteúdo nacional, então temos um canal de funk, MPB, musica cristã, forró, axé... Todo esse conteúdo vem sendo trabalhado com as gravadoras para ter um ar local. Depois, logicamente, o algoritmo vai pegando o que as pessoas estão escutando", explicou Szapiro.

A título de comparação, o Spotify, um dos mais populares streamings de música, possui limitações na sua versão gratuita, como propagandas entre as faixas e apenas reprodução aleatória. A versão Premium custa R$ 16,90 mensais e R$ 26,90 no Premium Família. O concorrente Deezer pratica exatamente os mesmos valores do rival. Eles levam vantagem em relação ao Prime Music na quantidade de músicas oferecidas, que, mesmo na versão gratuita, superam 50 milhões.

Além do Prime Music, a Amazon também está lançando o Prime Reading, que dá acesso a uma seleção rotativa de centenas de e-books, com títulos de ficção e não-ficção, além de revistas como Veja, Claudia e Saúde. A companhia fez uma parceria com a Abril para oferecer esses títulos, mas não quis revelar o montante acordado com a editora.

"As revistas vão mudando todo mês. Por enquanto, temos parceria apenas com a Abril, mas estamos abertos a olhar para outras editoras. Como esse é um começo, não quer dizer que outras editoras não possam vir", afirmou Szapiro.

Veja mais:

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade