PUBLICIDADE

Outros políticos 'viraram' Hitler em capa como Bolsonaro

Filho Zero 2 do presidente critica montagem da IstoÉ e apoiadores do ex-capitão beneficiam a revista ao tentar prejudicá-la

18 out 2021 10h21
| atualizado às 15h16
ver comentários
Publicidade
Putin, Bolsonaro e Trump associados a Hitler: recurso iconográfico manjado, mas sempre impactante
Putin, Bolsonaro e Trump associados a Hitler: recurso iconográfico manjado, mas sempre impactante
Foto: Reproduções

Uma capa polêmica sempre turbina as vendas de jornais e revistas. A propaganda 'boca a boca' associada à viralização nas redes sociais faz muita gente correr até a banca mais próxima. Foi o que aconteceu com a recente edição da IstoÉ.

Jair Bolsonaro é mostrado como Hitler. O editor de arte escolheu uma foto na qual o presidente está com um franjão incomum e cara de irritado. A palavra 'genocida' foi usada para formar o inconfundível bigode usado pelo ditador nazista.

A manchete o chama de "mercador da morte". Esse rótulo tornou famoso o traficante de armas russo Viktor Bout, preso na Tailândia pelo serviço secreto americano em 2008 e condenado a 25 anos de prisão nos Estados Unidos. Sua história inspirou o roteiro do filme 'O Senhor das Armas', protagonizado por Nicolas Cage.

No caso da capa em questão, a IstoÉ imputa a Bolsonaro a responsabilidade por milhares de mortos por covid-19. O vereador Carlos Bolsonaro, filho Zero 2, demonstrou revolta com a revista. "Essa mesma impren$a se vitimiza e exige respeito. Nesse caso ninguém vai enxergar o tal "limite" na liberdade de expressão", escreveu no Twitter.

Nas redes sociais, inúmeros bolsonaristas furiosos postaram vídeos rasgando exemplares. Um deles disse ter comprado o estoque inteiro de uma banca em São Paulo. Em um momento de declínio das vendas de revistas, os apoiadores do presidente acabam dando lucro à IstoÉ ao invés de lesá-la.

Esse conceito provocativo e impactante já foi visto antes na mesma publicação. Em edição de janeiro de 2017, a IstoÉ apostou em um close-up de Donald Trump, que tomaria posse naquela semana, e fez nele um bigode hitleriano com a pergunta 'E agora?'

Meses depois, a alemã Stern estampou o republicano vestido com a bandeira dos Estados Unidos e fazendo a saudação nazista. O título 'Sein Kampf' ('A luta dele') fez referência a 'Mein Kampf' ('Minha luta'), livro lançado por Hitler e que se tornou uma espécie de manual de seu regime.

Em novembro de 2014, a The Advocate, revista dirigida à comunidade LGBTQIA+, colocou na capa o presidente da Rússia, Vladimir Putin, com o famigerado bigode formado pelo título 'Pessoa do Ano'. Um protesto pela política heteronormativa imposta por ele e a onda de opressão contra os ativistas da diversidade sexual.

Curiosamente, um dos personagens mais pacíficos e carismáticos da história, Carlitos, criado e interpretado pelo britânico Charles Chaplin, também usava o bigode conhecido como 'toothbrush' (escova de dente).

Aliás, o comediante fez uma crítica a Hitler no filme 'O Grande Ditador', de 1940. Ele vive o próprio tirano brincando com um globo terrestre. Cenas do longa foram usadas pela Globo na bela abertura da novela 'O Dono do Mundo', em 1991.

Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
Publicidade
Publicidade