PUBLICIDADE

Aston Barrett, baixista de Bob Marley, morre aos 77 anos

Morte do musicista foi confirmada pelo filho, que revelou que Aston Barrett enfrentava uma longa batalha de saúde

5 fev 2024 - 17h29
(atualizado às 18h11)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Instagram/Aston Barrett Jr / Pipoca Moderna

Aston Barrett, lenda do reggae conhecido como 'Family Man', morreu no sábado passado, 3 em Miami, na Flórida (EUA), aos 77 anos. Seu filho, Aston Barrett Jr., compartilhou a notícia, revelando que o músico enfrentava uma longa batalha de saúde.

Nascido em 1946, em Kingston, Jamaica, Barrett ficou conhecido por sua habilidade autodidata e por construir seu primeiro baixo do zero, de forma caseira. Um inovador no instrumento, ele criou um novo conceito de tocar baixo. "Era o meu destino", afirmou no documentário "Bass Player" de 2007.

A lenda começou nos Upsetters, a banda liderada por Lee "Scratch" Perry, uma das figuras mais inovadoras da música jamaicana. Ele se juntou a Perry com o irmão baterista Carlton Barret no final dos anos 1960, período que se tornou crucial para o reggae, pois sob a tutela de Perry, os Upsetters foram fundamentais no desenvolvimento do dub e em outras experimentações sonoras que definiram o gênero - baseadas principalmente no som do baixo.

Ascensão com os Wailers

Após sua experiência com os Upsetters, os irmãos Barrett juntaram-se a Bob Marley e os Wailers em 1974, tornando-se peças centrais na banda. A habilidade e encaixe sonoro dos irmãos contribuiu para o som distinto dos Wailers e ajudou a elevar o reggae a uma audiência global. O cantor do UB40, Ali Campbell, chegou a dizer que antes havia o ska e o rocksteady, até que os irmãos Barrett inventaram o reggae nos Wailers.

O estilo distinto de Barrett ao tocar baixo, descrito como a "espinha dorsal" das músicas de Marley, foi fundamental para clássicos como "No Woman, No Cry" e "Jamming". Mas Barrett não só tocou, ele também atuou como co-produtor em vários álbuns da banda, permanecendo um membro vital até a morte do cantor, em 1981.

Além de seu trabalho com Bob Marley, o baixista contribuiu para álbuns de outras ícones do reggae como Peter Tosh, Burning Spear, King Tubby e Bunny Wailer, e foi bastante reconhecido por sua contribuição à história da música, recebendo prêmios da Bass Player Magazine e sendo homenageado como um dos "20 baixistas lendários que formaram o som do baixo elétrico". Ele também foi mentor de Robbie Shakespeare e outros músicos, influenciando gerações com sua técnica. Seu legado continua até hoje a ser um ponto de referência no reggae e além.

 

O homem de família

A vida pessoal de Barrett foi igualmente marcante. Ele começou a se chamar "Family Man" devido ao papel de paizão e líder da banda de Bob Marley, mas o nome acabou pegando mesmo pela quantidade de filhos que produziu. Aston Barrett foi pai de mais de 40 crianças.

Sua morte aconteceu a menos de duas semanas da estreia da cinebiografia "Bob Marley: One Love", onde seu papel como baixista e líder da banda de Bob Marley é destacado. No filme, o artista é interpretado por seu filho, Aston Barrett Jr, que tocou baixo na banda de Julian Marley e hoje é baterista da atual formação dos Wailers. A estreia acontece em 15 de fevereiro no Brasil.

Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Compartilhar
Publicidade
Publicidade